Plano da Polícia Federal para o dia da prisão de Lula envolve 350 agentes, avião e centenas de militares

Os preparativos da PF para a provável prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) são mirabolantes. Envolvem nada menos que 350 pessoas, avião e apoio da PM. Não haverá uso de algemas. A PF trabalha com cinco possíveis locais para o cumprimento da pena.

Condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região a doze anos e um mês de prisão, o ex-presidente Lula será recolhido ao cárcere tão logo seu recurso contra a sentença seja julgado no TRF4, o que deve ocorrer a partir do próximo dia 23. A cadeia, se nenhuma reviravolta acontecer, é uma questão de tempo.

A edição da Revista Veja desta semana mostra os preparativos da Polícia Federal para cumprir a ordem de prisão contra a maior estrela do chamado petrolão. O trabalho para o “Dia D” da Lava-Jato – como tem sido chamado na corporação – é sigiloso e envolve 350 agentes, avião e apoio da Polícia Militar.

A Polícia Federal já está ciente do peso da biografia do alvo, e quer evitar, de todas as formas possíveis, erros cometidos em ações anteriores, para não vitaminar o discurso de Lula. segundo o qual ele tem sido vítima de uma caçada judicial. Lula é um verdadeiro artista e tenta se passar por vítima de armação.

Já foi acordado, por exemplo, que não haverá o uso de algemas nem de camburão no ato da prisão do ex-presidente da República. A Polícia Federal espera deter o petista em sua casa em São Bernardo do Campo (SP) e listou cinco locais onde o ex-presidente pode começar a cumprir sua pena na Lava-Jato.

DOZE ANOS DE CADEIA   

Lula foi condenado pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os desembargadores confirmaram o entendimento do juiz Sérgio Moro, de que Lula cometeu crimes e aumentaram a pena, de nove anos e seis meses de para 12 anos e um mês de prisão.

A decisão deixa Lula enquadrado pela Lei da Ficha Limpa, o que dificulta sua candidatura à Presidência da República na eleição desse ano. Por outro lado, o petista depende agora de uma série de recursos no próprio TRF4 ou em tribunais superiores, para se manter elegível até o registro da sua candidatura pelo TSE.

O revés no TRF4 também deixa o petista mais perto da prisão, já que entendimento do STF permite o cumprimento imediato da pena a condenados em segunda instância. Com o placar de 3 a 0, o mais desfavorável possível ao petista, resta a Lula apenas a possibilidade de apresentar embargos de declaração.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.