Polícia descobre roça com 500 pés de diamba em aldeia indígena de Arame

A Polícia Civil da cidade Arame, na região Centro Sul do Estado do Maranhão, a 432km de São Luís,  prendeu dois indígenas traficantes que mantinham uma plantação com cerca de 500 pés de maconha, na Aldeia Indígena Estirão, localizada dentro da Reserva Araribóia, a 42km da sede do município, sentido Grajaú.

Os indígenas traficantes foram identificados como Rozy Ymira Guajajara, o “Muriçoca”, 25 anos, e Floriano Clemente Guajajara, o “Kele”, 40 anos; autuados nos art. 33, parágrafo 10, incisos I e II e Art. 35 da Lei 11.343/06; recolhidos ao xadrez da Delegacia de Arame, e depois recambiados para  Grajaú.

A ação policial foi coordenada pelo Delegado Renilto Ferreira, titular da 15ª Delegacia Regional do município de Barra do Corda, que responde pela cidade de Arame, após denúncia que uma motocicleta Honda, modelo Bros, 160, vermelha e branca, estava sendo negociada pelo indígena conhecido como “Zetiu”.

Mais de 80 quilos

Aos policiais civis, o indígena “Zetiu” informou que comprou a motocicleta na própria Aldeia Estirão, por apenas R$1.000,00, e que Honda Bros foi entregue no dia anterior a quatro homens, ocupantes de uma Hilux , branca, que se diziam ser por policiais e donos da motocicleta que pode ter sido roubada.

De posse das informações, a polícia fez diligências na Reserva Indígena Estirão e encontrou a plantação, com cerca de 500 pés, que pesados renderam mais de 80kg. A droga – que estava pronta para consumo – foi periciada e incinerada. Esta não é a primeira apreensão de maconha em reserva indígena do Maranhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.