Polícia prende o vagabundo que matou o servidor do MP para roubar moto perto do Roque Santeiro

Sávio Fonseca é um velho conhecido da polícia

A polícia prendeu na tarde desta quinta-feira (22), o assassino do professor e Funcionário do Ministério Público do Maranhão, André Arouche Fontoura, assassinado no dia 27 de dezembro de 2017. O vagabundo foi identificado como Sávio Gomes Fonseca. O crime revoltou a população que clamava por justiça.

De acordo com a polícia, Sávio matou o professor após um assalto, perto do semáforo na Avenida Jerônimo de Albuquerque, na entrada do bairro Bequimão, em São Luís. O bandido queria tomar a moto nova e ainda sem placas de André, não conseguiu e acabou matando a vítima com um tiro na cabeça.

De acordo com o delegado Felipe César, Sávio foi preso no residencial Vitória, na Forquilha, em uma a operação realizada unicamente para prendê-lo.  O vagabundo possui três passagens na polícia por homicídios e uma por tráfico,  estava preso e cometeu o crime contra André Arouche um mês após a liberdade.

Segundo o delegado Felipe Cessar, foi Sávio Fonseca quem efetuou  o tiro a queima-roupa em André. Além de Sávio, um adolescente teria participado do assassinato que revoltou a população do Estado do Maranhão, mas este foi apreendido no dia 09 de janeiro de 2018 e está sob a custódia da justiça.

Andre Arouche deixou a esposa e uma filha

Tiro na cabeça

No dia 29 de dezembro de 2017, André Arouche Fontoura foi assassinado durante uma tentativa de assalto na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no bairro Bequimão, em São Luís. Ele era funcionário do Ministério Público do Maranhão e professor de economia em um Instituto de Ensino Superior em Paço do Lumiar.

A vítima foi abordada quando parou em um semáforo. Os dois assaltantes queriam a moto. De acordo com a polícia, André reagiu e houve luta corporal até que um dos assaltantes atirou na cabeça da vítima. O professor chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. Os autores do crime fugiram sem levar a moto.

André Arouche Fontoura era formado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) em Economia e Contabilidade. Era analista ministerial do Ministério Público, com atuação na assessoria técnica das Promotorias de Justiça da Capital. A vítima deixa a esposa, que também é servidora do MP, e uma filha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.