Polícia prende traficantes e ladrões de carros que aterrorizavam a população de São Luís

A Secretaria da Segurança Pública apresentará nesta sexta-feira (23), os presos da “Operação Saturação”, realizada no bairro da Liberdade e nas comunidades vizinhas. A SSP já apresentou os ladrões de carros, presos pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), por meio da “Operação Veloster”, que desarticulou a perigosa quadrilha.

A “Operação Saturação” está sendo realizada pelas Polícias Civil e Militar e foi deflagrada na manhã de quinta-feira (22). O objetivo é desarticular facções criminosas que traficam drogas e promovem tiroteio na área. Segundo a polícia, o objetivo dos bandidos que promoveram o tiroteio era eliminar a “Val”, que já foi presa várias vezes, mas se encontrava em liberdade, aprontando.

O comandante do Policiamento da Área Metropolitana, coronel Pedro Ribeiro, informou que a operação foi planejada após intenso um tiroteio, realizado no dia 20, na área do Bairro da Liberdade, onde criminosos de uma facção rival tentaram amedrontar membros de outra facção criminosa, liderada pela  traficante identificada como “Val”, que agora acabou sendo presa pelos policiais.

 

Ladrões violentos  

A Secretaria de Segurança (SSP) já prendeu e apresentou uma perigosa quadrilha de ladrões de carros, presa por policiais da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), por meio da chamada “Operação Veloster”.

De acordo com informações da Polícia Militar, todos da quadrilha são acusados de roubos, furtos e adulteração de veículos automotores e outros delitos na cidade de São Luís e região metropolitana, aterrorizando a população.

Os ladrões foram identificados como Emanuel da Silva Mendes, Harrisson de Melo da Silva Filho, Ramon Costa de Assunção e Daniel Pereira. Na Operação também foi preso Charlisson Rodrigues Roland, que se encontra no xadrez em Pinheiro.

Os presos agiam com armas de fogo e armas brancas e de forma violenta e ameaçavam as vítimas. Durante as investigações, eles foram reconhecidos por várias vítimas e testemunhas. Alguns já foram presos e respondem processos judiciais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.