‘A menina que matou os pais’: História de Suzane von Richthofen será retratada no filme

Suzane von Richthofen foi condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais

Após cometer o homicídio dos pais, juntamente com os irmãos Cravinhos, a história de Suzane Von Richthofen será contada em um drama psicológico, que também envolve suspense. O longa A menina que matou os pais discutirá os motivos que levaram o trio ao fato com detalhes que vão desde o assassinato até a condenação.

“O filme traz um tema que muita gente conhece e tem ideias pré-concebidas, mas as pessoas não sabem o mais importante que é o motivo que levou a filha e seu namorado a matarem seus pais. Por isso, esse projeto parte de um grande desafio que é entender um pouco a mente de cada um dos dois assassinos”, comenta o diretor Mauricio Eça.

O roteiro é assinado por Ilana Casoy, criminóloga, escritora e especialista em serial kilers do Brasil, juntamente com Raphael Montes, escritor brasileiro de literatura policial. A produção está prevista para estrear no primeiro semestre de 2019.

Reprodução de foto da família Richthofen. Da esq, para a dir.: Suzane von Richthofen, o irmão Andreas Albert von Richthofen e os pais Marísia von Richthofen e Manfred Albert von Richthofen

O CRIME Manfred e Marísia Von Richtofen, pais de Suzane, foram mortos a pauladas enquanto dormiam na casa da família, no bairro de Campo Belo, em São Paulo, em outubro de 2002. O assassinato foi cometido por Suzane e pelos irmãos Cravinhos, Daniel e Cristian, no qual eram namorado e cunhado da jovem, respectivamente. A paulista foi condenada a 39 anos de prisão por ser a mentora do crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.