Fazendeiro que matou esposa no meio da rua em Balsas já foi empresário no Piauí

Miguel Francisco de Oliveira era um empresário bastante conhecido na cidade de Corrente (PI) como ‘Miguel Barateiro’, dono de um supermercado mais forte na região há alguns anos atrás. O Supermercado Barateiro foi muito conhecido dos correntinos na decada de 90. 

Resultado de imagem para homem mata a esposa pedradas em balsas

Sandra Cristina de Souza, 57 anos, foi assassinada na noite desta sexta-feira (19), após ser espancada pelo marido no meio da rua, em Balsas, cidade distante a 808 km de São Luís. As câmeras de segurança da residência do casal, registraram o momento do crime.

As imagens das câmeras de segurança mostram a vítima sendo agredida com um pedaço de madeira, logo em seguida o suspeito a joga no chão e usa blocos de concreto para espancar a mulher.

O suspeito, identificado como Miguel Francisco de Oliveira, de 70 anos, era marido da vítima e foi preso a manhã deste sábado (20), quando tentava fugir da cidade de Balsas.

Ele era um empresário bastante conhecido na cidade de Corrente como ‘Miguel Barateiro’, dono de um supermercado mais forte na região há alguns anos atrás. O Supermercado Barateiro foi muito conhecido dos correntinos na decada de 90.

“A partir da denúncia nós fomos até o local e chegando lá constatamos que era o indivíduo que cometeu esse homicídio contra a própria esposa. Ele estava tentando fugir, querendo saber para onde ficava São Raimundo das Mangabeiras e Buritirana, segundo informações ele é dessa região”, informou o Sargento José Neto.

Segundo a polícia, o objetos usados no crime: faca, pedaço de madeira e os blocos de concreto sujos de sangue, foram apreendidos e serão encaminhados para o Instituto de Criminalista em Imperatriz.

“Tudo isso já foi apreendido, já consta nos autos, será periciado, assim como também já solicitamos o exames cadavérico, que já temos em mãos. O trabalho da polícia investigativa, já está bastante avançado. Faremos agora a conclusão do auto de prisão em flagrante e no prazo de 10 dias a delegada responsável concluirá as investigações”, informou o delegado David Passada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *