Cantor Sérgio Reis revela ameaças e se arrepende de ‘frase infeliz’

Em entrevista exclusiva ao Domingo Espetacular, artista afirma que se retrataria de áudio em que ameaça invadir o STF

Sérgio Reis em entrevista a Roberto Cabrini para o Domingo Espetacular

O cantor Sérgio Reis disse em entrevista exclusiva ao Domingo Espetacular, da Record TV, que vem sofrendo intimidações depois do vazamento de um áudio em que ameaça invadir o STF (Supremo Tribunal Federal). O artista conta que se arrepende do que chama de frase infeliz e garante que o motivo da investigação da PF (Polícia Federal) contra ele foi uma brincadeira.

Em entrevista ao repórter Roberto Cabrini, Reis se diz triste com a forma com quem vem sendo tratado. “Não me arrependo de nada. Só esta frase infeliz, que eu brinquei com um amigo, que vazou. Mas não é a realidade. E se eu falei, foi brincando.”

No áudio que motivou a apuração, o artista afirma: “Se em 30 dias não tirarem aqueles caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser.” 

Nesta semana, o artista foi alvo de mandados de busca e apreensão da PF, como parte de um inquérito que apura “eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”.

ALVO DA PF

Os mandados foram autorizados pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, a pedido da PGR (Procuradoria Geral da República).

“Eles [os ministros do STF] tomam as atitudes que eles acham que estão certas, eles se acham o dono do país. Fazem coisas que desagradam a gente e isso incomoda. São soberanos, mas até onde vai não sei”, disse o cantor.

A equipe do Domingo Espetacular voltou à residência do cantor. Reis estava acamado, triste com o que chamou de abandono dos amigos. O parceiro musical Renato Teixeira foi um dos que prestou apoio.

“Estou arriado, estou cansado. Tenho 81 anos. O que eu tinha que fazer, eu já fiz. Não vai depender de mim. Vai depender do povo, do governo, vai depender deles”, disse o artista.

O artista afirma que sabe que corre risco, mas não tem medo de uma eventual prisão. “Posso ser preso, mas o que eu posso fazer? Daí eu vou lá e me justifico. Falo o que que é e acabou.” Ele também disse que está disposto a se retratar. “Eu errei, cara. Quem não erra? Quem é que não erra? Quem não faz uma bobagem um dia, sabe”, desabafou.

(R7)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.