No Maranhão, custo médio de cada preso é de R$ 1.980 por mês, revela estudo inédito

Valor é destinado para salário de agentes, transporte, material de limpeza, água, luz, telefone, lixo, esgoto, itens de higiene, alimentação, atividades educacionais, recursos de saúde, entre outros.

Detentos dividem cela lotada no presídio de Pedrinhas, em São Luís — Foto: Mario Tama/Getty Images

Um preso custa aos cofres dos Maranhão, em média, o valor de R$ 1.980 por mês. É o que revela um estudo inédito obtido com exclusividade pelo g1 e pela GloboNews. O valor está acima da média nacional, que foi de R$ 1.800 por preso — a diferença no custo per capita, porém, chega a 340% na comparação entre estados brasileiros.

Para chegar aos valores, foram feitas solicitações via Lei de Acesso à Informação às unidades da federação. E, apesar de desde 2012 uma resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP) estabelecer parâmetros para a aferição do custo de cada preso, poucos estados seguem tais critérios.

O CNPCP lista como custos as despesas com pessoal (salários dos agentes e outros encargos), transporte, material de limpeza, água, luz, telefone, lixo, esgoto, itens de higiene, alimentação, atividades educacionais, recursos de saúde, entre outros.

O documento foi elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Estudo mostra custo médio de um preso no país — Foto: Guilherme Gomes/g1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.