Homem usa braço falso de silicone para não tomar vacina contra Covid-19

Homem, que se declara anti-vacina, está enfrentando acusações de fraude após aparecer no posto de vacinação com braço falso de silicone

O passe da vacina se tornou obrigatório no país

Um homem italiano está sendo acusado de fraude após aparecer para sua vacina contra a Covid-19 usando um braço falso. Para impedir a injeção, mas mesmo assim conseguir seu passe de imunização, o indivíduo anti-vacina pode ter pago centenas de euros por um braço de silicone.

O episódio inusitado aconteceu em um posto de vacinação em Biella, cidade próxima de Turim, na região norte da Itália (Piemonte). Há uma semana, o país anunciou medidas impedindo pessoas não vacinadas de participarem de atividades sociais, culturais e esportivas.

Depois de completar as formalidades burocráticas, incluindo assinar um formulário de consentimento na frente de um médico, o homem, de 50 anos, sentou-se e levantou a manga de sua camisa enquanto se preparava para que uma agente de saúde administrasse a dose.

Inicialmente, a agente não notou nada de estranho, pois o silicone imitava a aparência da pele. Entretanto, após se aproximar e tocar o braço, a profissional pediu ao homem que retirasse sua camisa. Com o seu plano em perigo, o homem tentou persuadir a agente de saúde a ignorar o caso.

“Me senti ofendida como profissional,” Filippa Bua contou. “A cor do braço me fez suspeitar. Então, pedi ao homem para mostrar o resto do braço esquerdo. Era bem feito mas não era da cor exata do resto do braço.”

Ela contou ao jornal italiano La Stampa que não conseguia ver as veias do homem: “Inicialmente, eu pensei que havia cometido um erro, mas era um paciente com um braço artificial”.

Não ficou claro se ele estava usando um braço falso inteiro ou apenas algum tipo de camada de silicone acima da pele.

“A prontidão e habilidade da agente de saúde arruinou os planos deste indivíduo, que agora terá que responder ao judiciário,” disse Alberto Cirio, presidente de Piemonte, em uma declaração conjunta com Luigi Icardi, membro do conselho de saúde da região. (Metrópoles)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.