Inquérito do assassinato de Dino Márcio será enviado à Justiça até sexta

O corretor Márcio Dino Formiga foi assassinado a tiros por um auxiliar prisional temporário, que estava fazendo “bico” como segurança, em um Pet Shop, na cohama.

Nesta semana será enviado para o Judiciário o inquérito que se encontra em andamento na Superintendência Homicídio e Proteção à pessoa- SHPP para apurar o assassinato do corretor de imóveis Márcio Dino Pinho Rosa Formiga, pelo auxiliar prisional provisório Edison Teles, que estava fazendo um “bico” como segurança em uma loja de produtos para animais. O crime aconteceu no dia 9 de maio.

O delegado Armando Pacheco, responsável pelo inquérito que apura o crime, disse que as investigações tiveram andamento com todas as circunstâncias investigadas à exaustão, teria ficado apurado que no momento do crime o suspeito sacou sua arma e fez uma disparo para o chão, mas o corretor de imóveis não teria se intimidado e avançado contra o segurança, que então desferiu os tiros fatais.

O crime

Tudo aconteceu em meio a um desentendimento envolvendo um cliente e um atendente de um pet shop existente na Cohama, e que resultou no crime de homicídio, que vitimou o corretor de imóveis Márcio Dino Pinho Rosa Formiga, praticado por um homem contratado para exercer o serviço de segurança do estabelecimento, um auxiliar prisional provisório, sem o preparo técnico para o exercício da profissão de vigilância e segurança patrimonial.

O crime causou grande comoção na Cohama, onde a vítima residia, pela forma brutal com que foi perpretado. Amigos e familiares da vítima, logo após seu sepultamento, dia 10, no Cemitério do Gavião, realizaram uma manifestação em frente ao pet shop, onde ocorreu o crime, em protesto pela forma brutal de como aconteceu o crime e para chamar a atenção das autoridades, exigindo ações mais efetivas com relação à ilicitude que vitimou Márcio Dino.

Logo que o crime ocorreu, plantonistas da Polícia Judiciária estiveram no local e procederam as investigações preliminares e, de posse da identidade do assassino, deram início às buscas para captura.

Suspeito preso

Já se encontra no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, o auxiliar prisional temporário Edson Teles, que figura como autor dos disparos que ceifaram a vida do corretor de imóveis Márcio Dino Pinho Rosa Formiga, de 47 anos.

Desde a ocorrência do homicídio, homens da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), de posse da identidade do suspeito de autoria, desenvolveram buscas durante três dias, para prendê-lo, mas o suspeito, sentindo que poderia ser capturado a qualquer momento, se apresentou na SHPP, onde já o aguardava um decreto judicial de prisão temporária por 30 dias.

Conforme o delegado Armando Pacheco, responsável pelo inquérito que apura o crime, o suspeito Edson Teles, ao ser ouvido, declarou em seu depoimento que a vítima esteve no Pet Shop reclamando a troca de uma mercadoria que lhe fora fornecida erradamente, ocasião em que teve uma discussão com um funcionário e, muito alterado, pegou um pacote de ração e saiu, recusando-se a passar no caixa, para os procedimento de troca da mercadoria que lhe foi vendida por engano, por uma jovem que estava em treinamento. Ao sair da loja foi abordado pelo segurança com quem discutiu.

Conta o delegado Pacheco que o segurança afirmou que pelo fato do corretor ter compleição física muito mais avantajada, ficou temeroso e fez um disparo para o chão o que não foi suficiente para fazer Márcio Dino recuar, tendo este avançado contra sua pessoa o que o teria levado a fazer os disparos fatais.

O delegado Armando Pacheco disse que após a oitiva, Edson, que estava acompanhado de um advogado, foi cientificado do decreto de prisão temporária em seu desfavor, e foi transferido para o Presídio Estadual de Pedrinhas.

Por: Douglas Cunha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.