23 remédios estão em falta nas farmácias do país. Confira a lista

Por Samanta Sallum

As fármacias e drogarias do país estão com estoques desfalcados. Há escassez de uma série de medicamentos. O desabastecimento chega a 23 tipos de remédios (veja a lista abaixo). Antialérgicos, descongestionantes nasais, xaropes para tosse, antibióticos e até Novalgina sumiram das prateleiras.

O problema ocorre no DF e em todo o Brasil. Por falta de insumos, a indústria farmacêutica não está conseguindo atender a demanda, que aumentou muito devido à onda de gripe e ao novo pico de Covid.

“É uma situação angustiante. Não ter para vender o medicamento que as pessoas procuram. Chega pai aflito em busca de um antibiótico para o filho e não encontra”, conta o vice-presidente do Sindifarma no DF, Francisco Messias Vasconcelos.

Ele explica que as entregas da indústria foram reduzidas a 1/5 da necessidade do varejo. “O pouquinho que chega acaba em algumas horas. Evapora”, aponta. Até dipirona está faltando.

A deficiência na indústria farmacêutica é reflexo da guerra entre a Rússia e a Ucrânia. E também da paralisia da indústria na China (grande fornecedora mundial de insumos), devido ao rigoroso lockdown na pandemia.

Para tentar estimular a indústria, a Câmara de Regulação de Preços de Medicamentos (CMED), órgão federal, autorizou a liberação temporária do valor de remédios em risco de desabastecimento. A medida terá validade até 31 de dezembro deste ano. Mas a alteração de preços não será imediata.

Lista de remédios escassos:

Allegra D

Allegra Pediátrico

Amoxilina

Avamys

Benalet

Bisolvan spray adulto

Busonid Nasal

Celestamine

Citoneurim

Clavulin

Comtan

Coristina D

Desposteron

Desolex xarope

Flixotide spray

Novalgina

Nasonex spray

Klaricid

Rehidrate

Rinosor

Seki xarope

Venvanse

Novalgina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.