Servidora pública denuncia que foi brutalmente espancada após criticar Bolsonaro

Agressões ocorreram em um bar de Recife, no último domingo.

A servidora pública Paula Pinheiro Ramos Pessoa Guerra, de 37 anos, afirma ter sido espancada em um bar em Recife, no Pernambuco, após criticar ideias do candidato Jair Bolsonaro (PSL).  As agressões teriam ocorrido no último domingo. A reportagem com o relato foi publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

Paula Pinheiro diz que foi agredida por uma mulher que estava em uma mesa de apoiadores do capitão reformado do Exército. Enquanto era esmurrada, outros três homens imobilizaram os garçons do local e uma pessoa que a acompanhava. A servidora fraturou o rádio e foi submetida a uma cirurgia na noite do domingo. Paula está com hematomas no rosto e escoriações em todo o corpo.

Paula relata que havia uma mesa com quatro pessoas. Após iniciar a conversa sobre as ideias de Bolsonaro, conta que dois homens passaram a falar de mulheres em um tom bastante agressivo.

“Foi tão agressivo que eu filmei com o meu celular. Depois, fui para a minha mesa. Uma mulher que estava com eles se dirigiu a mim, mandou eu levantar e já me deu um murro no rosto. Caí no chão e comecei a ser espancada. Só a mulher me agrediu. Entrei em pânico”, diz.

Nesse momento, de acordo com Paula, outros três homens que acompanhavam a agressora imobilizaram os garçons. “A pessoa que estava comigo também foi imobilizada. A mulher, após várias agressões, estourou o meu celular no chão. Eu não lembro direito de tudo o que ocorreu porque fui muito agredida”, contou.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *