Ana Paula Lobato prestigia ato de implantação da Patrulha Maria da Penha em Pinheiro

A vice-prefeita de Pinheiro, Ana Paula Lobato, participou, nesta segunda-feira(15), da solenidade de implantação da Patrulha Maria da Penha na cidade de Pinheiro. O evento aconteceu no auditório do campus da UFMA com a presença de militares e autoridades públicas, entre elas, o secretário estadual de segurança pública, Coronel Silvio Leite.

O serviço da Patrulha, executado pela polícia militar, vai garantir a segurança de mulheres vítimas de violência doméstica e fiscalizar o cumprimento das medidas protetivas de urgência  expedidas pela Justiça.

“É mais uma vitória para as mulheres de Pinheiro, para nós que estamos vulneráveis a todos os tipos de violência. Estou muito feliz pela nossa cidade ter sido contemplada com a Patrulha”, declarou Ana Paula.

A Patrulha Maria da Penha foi lançada no Maranhão há cinco anos, começando por São Luís. Com a implantação em Pinheiro, o serviço agora atua em dez municípios maranhenses.

Baixada

A sede da Patrulha Maria da Penha vai funcionar no 10º Batalhão de Polícia Militar pinheirense e atender, também, ocorrências de violência doméstica dos municípios de Pedro do Rosário e Presidente Sarney.

O serviço será comandado pela tenente Ana Silva e contará com o apoio da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica no Maranhão, formada pelo poder público, Ministério Público estadual e sociedade civil.

As vítimas ou testemunhas de casos de violência doméstica podem solicitar ajuda da Patrulha Maria da Penha, em Pinheiro, pelo número (98) 97028-2714. O atendimento vai funcionar das 8h às 19h, durante a semana, e aos fins de semana das 14h às 02h.

VEJA IMAGENS! Gigantes, apartamentos de Jô Soares valem mais de R$ 7 milhões

Vaza fotos do apartamento milionário de Jô Soares com elevador dentro - La Notícia

Jô Soares (1938-2022) morava desde 1991 em um apartamento de mais de 600 metros quadrados no bairro de Higienópolis, na região central de São Paulo. O apresentador chegou a dizer que havia desembolsado uma “mixaria” pelo imóvel quando comprou. Anos depois, o comediante adquiriu uma outra unidade no mesmo prédio e transformou a residência em um duplex com elevador privativo.

Jô Soares

De acordo com o índice do site Agente Imóvel, de maio de 2022, o metro quadrado das residências na Avenida Higienópolis, onde fica o edifício que Jô morava, tem preço médio de R$ 12.227 –ou seja, cada um dos apartamentos vale cerca de R$ 7,3 milhões

Jô Soares

CONDOMÍNIO

O condomínio onde o artista viveu seus últimos 30 anos de vida tem apenas um apartamento por andar, e os imóveis têm a partir de 620 metros quadrados, com ao menos quatro dormitórios e quatro vagas de garagem. Adriane Galisteu era vizinha do ex-comandante do Programa do Jô.

Veja fotos do apartamento de luxo de Jô Soares transformado em Espaço Cultural - Famosos - Extra Online

Em 2011, Angélica visitou Jô Soares para o extinto Estrelas (2006-2018) e conversou com o ator sobre a residência. “Eu mudei para cá em 1991”, disse ele, que explicou como foi o processo de busca pelo local. A mudança na época foi feita ao lado de sua então mulher, Flávia Pedra Soares, de quem se separou em 1998.

“Quando eu vendi a casa que eu tinha, nós fomos morar num apartamento alugado. Num domingo, a Flávia acordou e disse pra gente procurar uma casa. Eu falei: ‘Mas tá tão bom aqui, pra quê?’. Mas aí a gente foi e procurou pela cidade toda, passamos por cinco ou seis apartamentos, todos caríssimos e mínimos”, recordou ele.

Aí as duas corretoras falaram: ‘É, então não tem mais nada. Só tem um apartamento antigo, mas tem dois inconvenientes, não tem salão de festas nem tem playground‘. Eu falei que era esse que eu queria. Aí quando chegamos aqui e eu vi essa sala, essa madeira toda, eu disse que era esse mesmo. E foi baratíssimo.

Jô Soares

Ainda que Jô tivesse considerado o valor baixo para os anos 1990, o preço do imóvel valorizou com o tempo. Após comprar uma outra unidade no mesmo edifício, o apresentador dividiu o espaço em dois: um local era onde ficava a parte da casa e no outro era uma espécie de espaço cultural, com biblioteca, escritório, ateliê e até um estúdio.

O local ainda conta com um acervo de obras de arte, esculturas e alguns espaços peculiares, como uma barbearia própria e uma capela em homenagem a Santa Rita de Cássia. Para facilitar a locomoção entre a residência que virou um duplex, ele instalou um elevador a vácuo.

Jô Soares

TESTAMENTO

Jô Soares foi casado três vezes: com Teresa Austregésilo (1933-2021), Sylvia Bandeira e Flávia Pedra, mas passou os últimos anos de vida solteiro. O único filho que tinha, Rafael Soares, morreu em 2014. Como o apresentador também não tinha irmãos, o processo de sucessão de bens precisa ser feito por meio de testamento.

Pesquisa BTG/FSB: Lula aparece com 45% e Jair Bolsonaro, 34%

Pesquisa BTG/FSB: Lula aparece com 45% e Bolsonaro, 34% - Imagem: Reprodução

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 45% das intenções de voto, segundo nova pesquisa BTG Pactual/FSB divulgada nesta segunda-feira (15). O atual presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece logo em seguida com 34%. Na sequência aparecem Ciro Gomes (PDT) com 8% e Simone Tebet (MDB) com 2%.

O instituto ouviu 2 mil eleitores por telefone entre 12 e 14 de agosto de 2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00603/2022

Na última pesquisa BTG/FSB, Lula tinha 41% e Bolsonaro, 34%.

Veja os números da nova pesquisa:

Primeiro turno

  • Lula (PT): 45%
  • Bolsonaro (PL): 34%
  • Ciro Gomes (PDT): 8%
  • Simone Tebet (MDB): 2%
  • José Maria Eymael (DC): 0%
  • Pablo Marçal (Pros): 0%
  • Felipe D’Ávila (Novo): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU)): 0%
  • Sofia Manzano (PCB): 0%
  • Leonardo Péricles (UP): 0%
  • Roberto Jefferson (PTB): 0%
  • Nenhum: 5%
    Branco/nulo: 1%
    Não sabe: 2%

Segundo turno

Lula x Bolsonaro

  • Lula: 53%
  • Bolsonaro: 38%
  • Nenhum: 4%
  • Branco/nulo: 4%
  • Não sabe: 2%

Lula x Ciro Gomes

  • Lula: 50%
  • Ciro: 29%
  • Nenhum: 13%
  • Branco/nulo: 6%
  • Não sabe: 2%

Lula x Simone Tebet

  • Lula 54%:
  • Simone 26%:
  • Nenhum: 13%
  • Branco/nulo: 5%
  • Não sabe: 2%

Bolsonaro x Ciro

  • Ciro: 47%
  • Bolsonaro: 39%
  • Nenhum: 8%
  • Branco/nulo: 5%
  • Não sabe: 2%

Bolsonaro x Simone Tebet

  • Bolsonaro: 42%
  • Simone: 40%
  • Nenhum: 11%
  • Branco/nulo: 4%
  • Não sabe: 3%

Fonte: Com informações da Band

Vídeos registram momento da queda do paramotor que matou dono do Bar Adventure na Litorânea, em São Luís

Vídeos divulgados nas redes sociais mostram o momento que o empresário e piloto Sandro Antônio Schons, de 52 anos, morre ao cair de uma altura de aproximadamente 10 metros após um problema durante um voo com um paramotor. O acidente aconteceu na tarde deste domingo (14), na praia do Calhau, em São Luís.

Sandro era proprietário do Adventure Bar e Restaurante, localizado na Avenida Litorânea.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no início da noite.

Em vídeos, é possível ver o piloto sobrevoando a praia do Calhau até que, de forma repentina, ele perde a altitude e sofre o acidente, caindo direto na areia.

Após receber os primeiros socorros, ele foi conduzido para o hospital por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

A causa do acidente será investigada, mas a suspeita gira em torno de uma possível pane no motor ou algum dano causado por uma linha de pipa com cerol, a conhecida linha chilena. (Com informações do Gilberto Lima)

Confira os vídeos: 

URGENTE! Dono do Bar Adventure morre em queda de parapente em São Luís

Segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar, o empresário Sandro Schons não resistiu a uma queda de parapente na tarde deste domingo (14) na praia da Litorânea e morreu.

De acordo com informação de um familiar, Sandro que é dono do famoso Adventure Bar da Litorânea, localizado em São Luís, chegou sem vida em um hospital particular da capital.

Ele era experiente piloto privado de aviões, piloto de paramotor parapente e também piloto acrobacias moto freestyle.

O acidente que vitimou Sandro Schons foi filmado e publicado em diversas páginas nas redes sociais nesta tarde.

Testemunhas do trágico acidente alegam que tudo foi ocasionado por uma linha chilena, que tem o corte quatro vezes maior que o cerol – ambos tipos de linhas usado em pipas.

Com o parapente, o empresário Sandro Schons promovia voos. Recentemente, a influencer digital Thaynara OG e o secretário estadual de Turismo, Paulo Matos, voaram.

Fátima Bernardes fatura alto após deixar o ‘Encontro’; confira o valor

Fátima Bernardes fatura alto com propagandas | FOTO: Reprodução

Fátima Bernardes saiu do programa Encontro, na TV Globo no final de junho, mas a sua saída não prejudicou a sua carreira que continua em alta. Recentemente, a jornalista fechou um contrato milionário com uma marca de cosméticos e perfumes.

De acordo com o colunista Gabriel Perline, do iG Gente, Fátima Bernardes embolsou nada menos que R$ 1,5 milhão para estrelar uma propaganda da marca que aborda o combate ao etarismo, que é o preconceito contra pessoas de idade avançada.

A campanha já está disponível nas redes sociais e também será veiculada na TV. Inclusive, a jornalista tem um dos cachês mais altos do meio artístico. Fátima já chegou a embolsar nada menos que R$ 3 milhões ao estrelar uma campanha de uma empresa do ramo alimentício.

No comando do The Voice

Mesmo distante das telas da Globo, a ex-mulher de William Bonner continua na emissora e se prepara para estrear no The Voice Brasil que inicia mais uma temporada no dia 15 de novembro com várias novidades.

Com informações do IG

Ato político em Timbiras reúne lideranças em apoio à reeleição de Othelino

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), participou, neste sábado (13), do ato político ‘O time de todos os timbirenses’ promovido pelo prefeito Antônio Borba, no município de Timbiras, em apoio à sua candidatura à reeleição. No evento, Othelino foi recepcionado pela população, que externou o desejo de que o parlamentar continue trabalhando pela cidade.

No encontro, que reuniu vereadores, lideranças políticas e apoiadores, também foram reforçadas as candidaturas à reeleição do governador Carlos Brandão (PSB) e do deputado federal Marreca Filho (Patriota), bem como de Flávio Dino (PSB) ao Senado.

Durante o seu mandato, Othelino Neto colaborou para que importantes obras chegassem a Timbiras, a exemplo da construção da ponte do Santarém, o Restaurante Popular, a Praça da Família, além da pavimentação de ruas e avenidas.

Em seu discurso, o chefe do Legislativo maranhense afirmou que, se for da vontade do povo do Maranhão, continuará trabalhando ainda mais. “É muito bom fazer campanha quando você tem o que dizer e o que mostrar. Nós temos essa alegria de poder ter trabalhado por Timbiras, ter ajudado a realizar sonhos. E esse é o time que tem ajudado Timbiras a crescer cada vez mais. Tenho certeza que, juntos, vamos fazer uma bela campanha e continuaremos levando muitos benefícios à população”, afirmou o parlamentar.

O deputado federal Marreca Filho destacou o time que tem trabalho muito pelo município de Timbiras. “Tenho certeza que os timbirenses querem a continuidade desse trabalho. Tenho certeza que, assim como eu, o deputado Othelino também tem muito carinho por essa cidade, que sempre nos acolheu tão bem e, juntos, continuaremos trabalhando em prol de Timbiras”, disse.

O prefeito Antônio Borba afirmou que os timbirenses reconhecem o quanto a cidade cresceu a partir dessas parcerias. “O povo de Timbiras vai saber agradecer, pois precisamos da ajuda desse time para continuarmos melhorando a qualidade de vida nesta cidade”, declarou.

O vice-prefeito Neguinho das Flores também manifestou o seu apoio. “Estaremos juntos nessa caminhada, pois sabemos da importância dessa parceria com o deputado Othelino Neto, o deputado Marreca Filho, o governador Carlos Brando e o nosso futuro senador Flávio Dino”, assinalou.

Tiroteio em padaria do Cohatrac termina com policial e bandido baleados

Um inspetor de polícia penal de 53 anos foi baleado durante uma tentativa de assalto a uma panificadora, na manhã deste sábado, 13, na Avenida Contorno Leste, no Cohatrac IV, em São Luís.

De acordo com informações do coronel Roberto Filho, a ação criminosa teve início na Aurora, área de responsabilidade do 20º BPM, e se desenvolveu no interior do estabelecimento.

O policial penal chegou ao local e percebeu a movimentação do suspeito e resolveu intervir para evitar a ação criminosa, mas terminou alvejado.

Mesmo ferido, o inspetor reagiu e também alvejou o assaltante, que caiu, mas conseguiu fugir em direção à rua, onde rendeu uma pessoa que passava em um veículo Toyota Corolla, obrigando-o a dirigir em rumo ignorado.

Já o policial pena foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi levado para um hospital de emergência.

“Tão logo tomamos conhecimento da ocorrência, mandamos várias viaturas ao local, e então, o Corolla foi encontrado na Estrada da Maiobinha, com o motorista sem lesões. O suspeito foi preso ao dar entrada para receber atendimento no Hospital Clementino Moura, o Socorrão 2, após ser atingido com um tiro na perna”, destacou o coronel Roberto Filho.

Após receber alta médica, o criminoso será conduzido ao Plantão do Cohatrac, área da ocorrência da tentativa de assalto, para autuação em flagrante (Com informações Gilberto Lima

Aposentado morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Com direito ao próprio quarto e o afeto das enfermeiras do Hospital Geral, primeira maternidade de Cuiabá (MT), o aposentado Sílvio de Souza, hoje com 74 anos, foi morador do local durante quase duas décadas. Entre os corredores e cômodos, Sílvio criou suas referências de lar e família, representadas principalmente pelas profissionais que o acolheram como filho.

Uma das certezas que Sebastiana Maria do Carmo, mãe biológica de Sílvio, teve quando descobriu que estava grávida, era de que não teria condições de criar o filho. O parto foi realizado no Hospital Geral, onde Sílvio viveria entre os médicos e enfermeiras pelos próximos 17 anos.

“Ela conversou com um dos médicos, que era diretor do hospital na época, e explicou que não teria como ficar comigo. Minha mãe acompanhou meu pai, que era garimpeiro, trabalhava em Poxoréu (MT), achou uma pedra e foi vender. Tinha o sonho de achar uma pedra que iria emancipá-lo pela vida toda”, conta.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Sílvio ainda bebê

Atualmente, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) não permitiria que uma história como a de Sílvio se repetisse. No entanto, o marco regulatório foi sancionado em 1990, quando ele já tinha 43 anos

Rodeado de carinho, cuidado e afeto, como reforça, Sílvio foi crescendo e amadurecendo em meio ao ambiente hospitalar. O aposentado tinha o próprio quarto no antigo prédio da primeira maternidade de Cuiabá.

Além dos brinquedos que costumava ganhar, o campinho nos fundos da unidade de saúde e a festa de Dias das Crianças organizada pelo Hospital Geral fazem parte de suas melhores memórias.
Com as mãos, Sílvio refaz o “caminho” de como chegar até o quarto. Os corredores do ambiente hospitalar viravam espaços para brincar na “casa” do aposentado.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Sílvio e as enfermeiras do Hospital Geral

O refeitório do Hospital Geral, onde médicos, enfermeiras e acompanhantes dos pacientes costumavam comer, também era onde Sílvio fazia suas refeições. A memória dele ainda guarda a disposição das mesas e cadeiras no local.

“Tinham três conjuntos de mesa: uma mesa com oito cadeiras para as enfermeiras, uma mesa com quatro cadeiras para os médicos e duas mesas com quatro cadeiras para os acompanhantes dos pacientes. Eu sempre comia com as enfermeiras”.

Conforme os anos iam se passando, ele logo entendeu que sua infância era diferente das outras crianças, mas afirma que isso não foi motivo de revolta.

Pelo contrário, Sílvio se emociona ao lembrar de como era tratado pelos funcionários do Hospital Geral.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

“Algumas [das profissionais do hospital] tinham comigo uma relação de determinar, aconselhar e de dar ordens mesmo. Mas, as enfermeiras não. Elas eram só carinho mesmo. Eu era danado quando criança, mas elas não deixavam ninguém me fazer mal. A infância não foi difícil. Era tratado como um príncipe”, brinca.

Além das referências de amor e “família”, era nas enfermeiras que Sílvio encontrava acolhimento e conselhos, quando precisava.

Uma das funcionárias que ocupam lugar especial na memória de Sílvio trabalhou como administradora do local. Ana Torres, conhecida na época como “dona Ana”, é sua principal referência de amor materno.

Anos depois de deixar o Hospital Geral para tentar a sorte no Rio de Janeiro, o destino de Sílvio e Ana Torres voltou a se cruzar. Já idosa e com problemas de saúde causados pela asma, ela viveu os últimos anos de vida com “o filho”.

“Ela morreu na minha casa, mas não é como se tivesse retribuído algo à ela. Era minha obrigação. Não tenho como pagar o que ela fez por mim, não tem valor. Tudo que eu pudesse fazer ainda seria pouco”, ressalta.

Em uma das memórias do amor de Ana Torres, Sílvio conta do dia em que ela lhe deu a própria bola, já que, por não ser um bom jogador de futebol, ele não era prioridade entre os meninos que jogavam no campinho atrás do Hospital Geral.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Sílvio no Rio de Janeiro

“Quando falava no ‘campinho da maternidade’ todo a gurizada já sabia. Nos fundos do estacionamento, tinha esse campo, vários médicos brincavam também. Eu ficava sempre de fora, cheguei para dona Ana, pedi minha própria bola para brincar e ela me deu”, conta em meio a gargalhadas.

Os médicos do Hospital Geral também participaram do crescimento de Sílvio a ponto de serem considerados irmãos de criação. É dessa forma que Rubem Mauro, filho do médico Clóvis Pitaluga, que chegou a ocupar a direção quando o local era a casa de Sílvio, se refere ao aposentado.

Graças aos médicos e enfermeiras, Sílvio conseguiu, por exemplo, ter acesso a boas escolas da época em Cuiabá.

“Sou super privilegiado, devo ter nascido com uma estrela. Tenho até medo de reencarnar de tão privilegiado que fui, acho que até abusei”, brinca Sílvio.

Também não era raridade que ele passasse os dias com as famílias dos médicos e das enfermeiras.

“As enfermeiras gostavam de me levar para a casa delas. Ia para as fazendas dos médicos por causa da amizade com os filhos. Muitas vezes vejo uma criança abandonada hoje e me corta o coração, vejo quanto fui privilegiado.

Vida fora do Hospital Geral

Sílvio entendeu que era hora de deixar o Hospital Geral após uma troca na direção. O afeto que estava acostumado foi desaparecendo aos poucos e ele deixou de sentir que aquele era seu lar.

“Quando decidi sair do hospital, contei para o Clóvis. Ele disse que não poderia me ajudar muito, mas que podia me dar um trabalho. De bicicleta, fiz cobranças das consultas para ele. Juntei um dinheirinho e fui embora para o Rio de Janeiro, onde morei por dez anos”, lembra.

A mudança também frustrou um dos sonhos que ele nutriu durante a juventude. Para ele, seria um caminho natural se formar médico obstetra, assim como àqueles que fizeram parte de sua vida.

“Fiquei um pouco revoltado de não ser médico, porque tive que tomar essa decisão em determinado momento da minha vida”, diz se referindo a saída do Hospital Geral.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Por conta da falta de recursos financeiros, Sílvio conta que viajou para o Rio de Janeiro escondido em um avião da Força Aérea Brasileira. “Espremido no banheiro”, explica encolhendo o corpo como se estivesse de volta na aeronave.

Os laços criados no Hospital Geral foram tão fortes e sólidos, que continuaram reverberando em sua trajetória, mesmo quando ele deixou a unidade de saúde. No Rio de Janeiro, a primeira casa que morou com o sobrinho de uma das enfermeiras.

“Tinha uma amizade de criança com os sobrinhos da Adelaide de Almeida Orro, escrevíamos cartas. Fui recebido na casa do Dilson Ramos de Moraes, sobrinho da Adelaide, onde morei um ano. Tinha um cheque que recebi trabalhando [na cobrança de consultas] e disse que o resto daria um jeito”.

Sílvio trabalhou no setor financeiro e não demorou para entrar no curso de Ciências Contábeis na Faculdade Moraes Júnior. Os anos em terras cariocas foram bem aproveitados, como ressalta o aposentado que foi sócio do Cordão da Bola Preta, um dos blocos de carnaval mais antigos do Brasil, e da Portela.

“Fiz meu curso, morei em casa de estudante no Rio de Janeiro e comia no restaurante universitário. Para conseguir me divertir era no samba. Era universitário e não tinha dinheiro, o que ganhava era para pagar os estudos”.

O aposentado continuou morando no Rio de Janeiro durante alguns anos após se formar, mas decidiu voltar para Cuiabá. Uma das justificativas do aposentado para o retorno foi a vontade de construir sua própria família.

Com a primeira esposa, ele teve três filhos e, além das próprias raízes familiares, Sílvio conquistou sua primeira casa, em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

É na frente do imóvel que o aposentado escolhe receber a reportagem, rodeado pela família. Orgulhoso, ele tenta chamar o bisneto de um ano para aparecer na foto.

“Quando comprei essa casa não tinha nada, era mato na frente e atrás. Colocaram três postes de energia elétrica logo depois. São muitas memórias nela, foi minha primeira casa de verdade”, conta enquanto mostra cada um dos cômodos.

O retorno para Cuiabá também fez com que a vida de Sílvio e da família biológica se encontrassem quando ele conheceu a única irmã biológica. Margarida, de 73 anos, chegou a morar com o aposentado após enfrentar problemas pessoais.

“Dois anos após meu nascimento, minha mãe teve a Margarida. Um dia elas apareceram no Hospital Geral, eu já tinha cinco anos. Só voltei a ver minha irmã quando voltei do Rio de Janeiro, no final de 1974”.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Sílvio de Souza sentado na porta de casa

O reencontro aconteceu após Sílvio procurar a irmã. Na época, ela era vítima de violência doméstica e chegou a morar na casa que o aposentado construiu em Várzea Grande.

Pela primeira vez, ele conseguiu se enxergar em outras pessoas, já que a irmã é “a cara” de Sílvio, como reforça, Júlio Mário, de 45 anos, filho do aposentado. Além do rosto parecido, os irmãos possuem a mesma deficiência em uma das pernas.

“Ajudei ela, morou comigo em casa. Depois ela voltou para ele, até que ele morreu. Margarida ainda mora em Cuiabá. Somos muito parecidos fisicamente, mas quando nos reencontramos, minha mãe biológica já era falecida”.

“Sou um homem de sorte”
A primeira esposa de Sílvio faleceu e, algum tempo depois, ele se casou de novo com Elioenay Marques Alves, de 62 anos, com quem compartilha a vida há 14 anos. O encontro aconteceu por acaso, quando Elioenay dispensou a carona do pai após o trabalho e preferiu ir de ônibus.

“Estava caminhando para o ponto e passei por ele, que me cumprimentou. Respondi e segui meu caminho. Quando olhei para trás, ele ainda estava olhando. Chegou perto e pediu meu celular, falei que precisava para trabalhar. Foi quando ele disse que queria só o número”, lembra a esteticista aposentada enquanto dá risada.

Na época, Sílvio estava morando em um hostel no Centro de Cuiabá. Foi o jeito que ele encontrou para despistar as lembranças impostas pela morte da primeira mulher.

Silvio de Souza morou em hospital por 17 anos e foi criado por enfermeiras

Sílvio e a esposa

“Na segunda vez que fui no hostel falei que se ele quisesse só aventura, que fosse procurar outra. Ele disse para morarmos na casa dele, falei que não, que seria na minha casa. Juntamos as coisas dele e fomos. Já se foram 14 anos”, conta.

Apesar da ligação que tem com o primeiro lar que construiu após a vida no Hospital Geral, hoje Sílvio vive com esposa em outro imóvel. No entanto, as memórias que tem com a casa sempre o levam de volta, nem que seja por alguns dias.

“Essa relação com família e amor, foram as enfermeiras que construíram. Elas foram minhas primeiras referências de afeto, passaram isso para mim. Lá [no Hospital Geral], não me faltou afeto”, explica Silvio.

Apesar de algumas lágrimas que teimam em deixar os olhos de Sílvio marejados enquanto conta sobre a infância, o aposentado deixa claro que nunca deixou se abater pelas durezas da vida. Ele prefere se lembrar do amor que teve ao invés do que lhe faltou.

“É difícil pensar nas duas palavras que nunca consegui pronunciar: mamãe e papai. Mas, por outro lado, tive todo esse amor. O maior poder do mundo é o amor, mas o pessoal tem medo. Ficam com medo de amar”. (Metrópoles)

Polícia recupera diamantes e relógios roubados de Carlinhos Maia

Polícia recupera diamantes e relógios roubados de Carlinhos Maia

O influenciador Carlinhos Maia teve seus relógios e diamantes recuperados pela Polícia de Alagoas neste sábado (13/8). O apartamento do influenciador foi invadido por bandidos no último mês de junho e desde então o caso seguia em investigação. Em áudio enviado a este colunista, Carlinhos vibrou por ter recuperado seus bens.

“Tô muito feliz, já tinha largado de mão inclusive. A polícia de Alagoas foi impecável, não pararam um minuto”, relatou .Na época, mais de R$ 5 milhões em bens foram roubados de sua casa. Com os diamantes e relógios, grande parte desses valores foram recuperados.

Polícia recupera diamantes e relógios roubados de Carlinhos Maia

Carlinhos também revelou que a polícia irá fazer uma coletiva de imprensa para fornecer detalhes sobre a recuperação dos bens do influenciador na noite deste sábado.. “À noite eles vêm aqui ou vamos na delegacia para entendermos tudo o que aconteceu. De noite eles vão fazer uma coletiva para explicar tudo o que aconteceu.”, explicou. (Leo Dias)