Começa a faltar alimentos na Ceasa de São Luís; supermercados podem fazer racionamento

Feirantes estão trabalhando com o estoque final

Desde o início da greve dos caminhoneiros no Maranhão que chega ao seu oitavo dia, a situação do abastecimento de alimentos na Ceasa em São Luís, tem preocupado fornecedores e consumidores. Os comerciantes estão vendendo o que sobrou do estoque. 

Por conta do bloqueio nas rodovias do estado, a produção legumes, frutas e verduras que chega até a capital está comprometida e o Ceasa enfrenta uma crise de falta de produtos.

De acordo com os fornecedores do Ceasa, nenhum dos 40 caminhões com alimentos que estavam previstos para chegar nesta segunda-feira (28), não conseguiu desabastecer no local. Entre os produtos aguardados estão abacate, tomate, cebola, pimentão, pepino, chuchu e batata inglesa.

Caminhões de entrega sumiram no pátio da Ceasa

Crise no abastecimento  

Os fornecedores afirmam que sem a chegada desses produtos e com o fim do estoque, já não há mais nada para oferecer aos supermercados, mercados e consumidores.

Nesse domingo (27), um fornecedor que recebeu cargas de limão e tanja chegou com parte da mercadoria estragada. Por conta da crise no abastecimento na capital. A Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) considera a possibilidade de racionar mercadorias para os clientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.