Vaqueiro “Nó Cego” é preso acusado de matar o vereador “Jango”, da cidade de Maranhãozinho

A Polícia Civil informou que prendeu na manhã desta sexta-feira (31) o vaqueiro  Egídio Silva Pires, conhecido como “Nó Cego”  em Santa Luzia do Paruá, na região do Pindaré.

Segundo da polícia,  “Nó Cego” é acusado de ser o executor do vereador do município de Maranhãozinho, João Pereira Serra (PSD), também conhecido como “Jango”.

De acordo com a polícia, “Nó Cego” é funcionário e uma espécie de capanga de um razendeiro suspeito de ser o mandante do crime. A prisão aconteceu 38 dias após o assassinato.

Conforme a Polícia Civil “Nó Cego” também seria caseiro da fazenda do autor intelectual do assassinato do vereador.  Foram apreendidos arma e munição na fazenda.

CRIME NA FAZENDA

O vereador João Pereira Serra (PSD), também conhecido como “Jango”, foi executado a tiros no início da manhã de terça-feira 23 de abril, no município de Santa Luzia do Paruá, a 370 km de São Luís. Ele tinha 46 anos e era vereador da cidade de Maranhãozinho, a 232 km da capital.

Segundo a polícia, o vereador foi executado friamente por dois homens não foram identificados, por volta das 6h, quando saía da fazenda do pai dele em sua caminhonete por uma estrada de terra rumo à BR-316, situada na zona rural de Santa Luzia do Paruá.

De acordo com a polícia, o vereador foi atacado por suspeitos que disparam vários tiros de revólver calibre 38 e também de escopeta. Após o crime, os assassinos de João Pereira Serra fugiram em direção a uma área de mato na região da cidade de Santa Luzia do Paruá e ainda não foram capturados pelos policia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *