Suíça legaliza cápsula de suicídio assistido sem ajuda de terceiros

pod

Um pod semelhante a um caixão impresso em 3D desenvolvido para realizar o suicídio assistido foi legalizado na SuíçaDe acordo com a  Swiss Info, o objetivo é que a pessoa possa realizar a ação sem a ajuda de terceiros e de maneira segura.

O pod suicida, apelidado de máquina Sarco, passou pela revisão legal no país e pode começar a operar em 2022. A cápsula oferece aos usuários uma morte pacífica e sem o uso de substâncias controladas, diz Philip Nitschke, pesquisador da Exit International.

“A pessoa vai entrar na cápsula e deitar. É muito confortável. Eles responderão a uma série de perguntas e quando tiverem respondido, eles podem pressionar o botão dentro da cápsula ativando o mecanismo em seu próprio tempo”, explica Philip.

A máquina Sarco foi desenvolvida pela organização internacional sem fins lucrativos Exit International, que defende a eutanásia voluntária e o suicídio assistido.

Nitschke explica que o pod inicia o processo de inundar o interior da cápsula com nitrogênio, o que reduz o nível de oxigênio de 21% para 1%. A pessoa se sentirá desorientada e um pouco eufórica antes de perder a consciência. Todo o processo leva 30 segundos.

A Exit International espera eventualmente usar inteligência artificial em um sistema de triagem para estabelecer a capacidade mental do usuário. A organização afirma que deseja “remover qualquer tipo de revisão psiquiátrica do processo e permitir que o próprio indivíduo controle o método”.

Legalidade do processo de suicídio

O suicídio assistido é legal em alguns países sob certas circunstâncias, incluindo na Holanda, Alemanha, Bélgica, Espanha, Canadá e Suíça, além de alguns estados dos Estados Unidos. A maioria dos países onde o suicídio assistido é legal exige que as pessoas tenham uma doença incurável ou terminal.

Apesar de parecer idêntica ao suicídio assistido, a eutanásia se difere por conta do seu agente. Quem coloca fim à vida, neste caso, é outra pessoa que não o próprio paciente.

Cerca de 1.300 pessoas morreram por suicídio assistido na Suíça em 2020 com o apoio das duas maiores organização de ajuda à eutanásia, a Exit e a Dignitas.

No Brasil, o suicídio nunca foi tratado como crime. No entanto, induzir, instigar ou auxiliar alguém a cometer suicídio é crime previsto no art. 122 do Código Penal Brasileiro, com pena prevista de 2 a 6 anos de reclusão, caso o ato seja consumado, ou reclusão de 1 a 3 anos, caso a tentativa resulte em alguma lesão corporal de natureza grave.

Se você está passando por um momento difícil, procure ajuda. Entre em contato com o CVC (Centro de Valorização da Vida) pelo número 188.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.