Quatro maranhenses são executados dentro de casa no estado de Mato Grosso

Quatro maranhenses foram assassinados a tiros, na noite de quinta-feira (16), no bairro Adriano Leitão, no município de Sinop, no estado de Mato Grosso.

Eles foram identificados como Rubenilson de Jesus Silva Monteiro, de 38 anos; Emerson Renato Ribeiro Ferreira, de 22 anos; Bruno Beche Garcia Sousa, de 23 anos; e Laurielson França Souza, de 30 anos.

Três vítimas são naturais de Pinheiro, enquanto Bruno é natural de São Luís. Eles estavam em Sinop trabalhando há cerca de três meses, e seriam amigos.

O tenente Ismael Assis, da PM, informou que na casa havia mais dois homens, duas mulheres, um adolescente e uma criança.

“Dois (homens) pularam o muro e dois entraram pela frente. Uma das pessoas que estava ali disse que os quatro estavam armados. Foi relatado pelas pessoas que estavam no local, que eles estavam reunidos, uns estavam no quarto e aí chegaram os quatro, mandaram todos ficaram ajoelhados, olharam as fotos das pessoas no celular, separaram os quatro e executaram”. “Eles (criminosos) estavam com bala clava (com rosto encobertos)”, acrescentou.

O oficial relatou que, há um tempo, a “guarnição nossa esteve aqui por causa dessas pessoas. Algumas estavam sofrendo ameaças por causa de uns objetos que eles tinham pego de uma residência. Pela informação que temos o irmão de um desses aí pegou objetos e, a partir desse momento, começaram a receber ameaças. A guarnição veio aqui mas não foi pego ninguém. Hoje eles vieram e executaram os quatro por causa desse fogão, ventilador, algo assim”, declarou o oficial, acrescentando que, por enquanto, “não dá pra dizer se era furto porque os móveis era de um desses rapazes”.

No boletim de ocorrência, consta que um dos moradores da casa conseguiu se esconder embaixo de um colchão na sala, assim que ouviu a porta da cozinha sendo arrombada com um chute, e por isso não foi visto pelos assassinos.

Bombeiros foram avisados, deslocaram-se ao local para socorrê-los mas constataram que os quatro estavam sem sinais vitais. “A gente constatou quatro vítimas em óbito. Foram várias perfurações”, explicou o sargento Luciano.

(Gilberto Lima)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.