Cobrador de ônibus está preso em Pedrinhas depois de ganhar a prisão preventiva pela morte do médico

Gilson foi traído pela cachaça que propagava nas redes sociais

A juíza Janaína de Carvalho, da Central de Inquéritos e Custódia de São Luís, decretou a prisão preventiva do cobrador Gilson Carlos Barros Ferreira, 32 anos, que atropelou e matou o médico Luís Cantanhede, 56, na Estrada de Ribamar.

Depois da audiência, o cobrador de ônibus foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para exames de praxe. Momentos depois, Gilson foi transferido para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficará à disposição da Justiça.

 

Além da liberdade, Gilson perdeu seu Celta que ficou destruído

 Muita cachaça

Gilson foi autuado pelo delegado Sebastião Uchôa, por homicídio simples. O cobrador atropelou e matou o médico, quando dirigia um Celta, prata, placas NND-5533, de São Luís. A ser examinado no teste do bafômetro, Gilson estava embriagado.

O Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual (BPRV) informou que exames de alcoolemia apontaram índice de álcool superior 0,34 no sangue de Gilson, o que permite enquadrá-lo por crime de trânsito. No primeiro teste, o índice foi 0.87. No segundo 0,73.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.