Feminicídio em São Luís: uma mulher é morta e outra baleada na cabeça em apenas dois dias

A professora Weslayne Corrêa foi baleada na cabeça por Eliezer

A primeira vítima foi a professora Weslayne Corrêa, que foi sequestrada e baleada, com dois tiros na cabeça, pelo ex-marido, Eliezer da Cunha Reis Corrêa. De acordo com a polícia, o crime aconteceu porque Eliezer estava inconformado com o término do relacionamento com a ex-esposa.

Weslayne Reis está entre a vida e a morte, no Hospital Municipal Djalma Marques o Socorrão I, onde foi atendida e operada. Os médicos disseram que o estado dela é gravíssimo. Eliezer Reis foi preso e encaminhado ao Presídio de Pedrinhas, onde esta à disposição da Justiça.

Eliezer da Cunha Reis Corrêa contou detalhes do crime, em vídeo. De acordo com Eliezer, o crime aconteceu porque estava inconformado com o término do relacionamento com a ex-esposa, e a fez refém, no Motel Wall Streeet, localizado no bairro bairro da Areinha.

Celiane foi morta com uma facada na nuca por Francisco da Chagas

Morte no Coroadinho

A segunda vítima foi a jovem Celiane Pereira Alves, de 30 anos, que foi morta, com uma facada na nuca, pelo ex-namorado identificado pela polícia como Francisco das Chagas, em uma quitinete no Bairro do Coroado. Francisco ainda está foragido e sendo caçado.

O corpo de Celiane foi encontrado na manhã de quinta-feira (5) com uma faca cravada na nuca, dentro do seu quarto.  O crime teria sido praticado na madrugada. Francisco figura como suspeito, depois que ligou para a mãe avisando sobre a morte da ex-namorada.

Segundo a delegada da Coordenação de Combate ao Feminicídio , Viviane Azambuja, Francisco das Chagas  ligou para casa da mãe, por volta de três horas da madrugada, dizendo que tinha acabado de ‘fazer uma besteira’ com a ex-companheira, Celiane Alves.

A delegada Viviane Azambuja atendeu Weslayne

Medidas protetivas

A delegada Viviane, revelou que Weslayne Correa, que foi sequestrada e baleada pelo ex-companheiro, esteve na Delegacia Especial da Mulher (DEM), na última quarta-feira (4), para fazer registro de ocorrência contra Eliézer Reis e foi prontamente atendida por ela.

Weslayne denunciou que Eliezer tentou sequestrá-la. “Ele tentou entrar à força no carro dela, mas não conseguiu. De imediato, ela procurou a delegacia, registrou ocorrência e pediu medidas protetivas.  Estávamos aguardando a determinação judicial”, disse a delegada.

1 pensou em “Feminicídio em São Luís: uma mulher é morta e outra baleada na cabeça em apenas dois dias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.