“Ninguém acredita que sou vereador”, conta parlamentar que sofreu racismo em hospital de São Luís

O vereador de São Luís, Eni Ribeiro, do Coletivo Nós, relatou ter passado por uma situação de racismo durante uma visita ao Hospital da Criança, enquanto cumpria a agenda oficial. O episódio aconteceu na última terça-feira (16), em pleno Mês da Consciência Negra.

De acordo com o relato, Eni Ribeiro tinha reunião marcada com a diretora do hospital, Luciane Duailibe, mas foi impedido de entrar no local pelo segurança, que não acreditou que era vereador. Segundo a assessoria, ele ainda foi ridicularizado pelo vigilante: “ele [o segurança] ainda ficou fazendo piada do tipo ‘tu? Vereador? Tu pode ser vereador lá na tua cidade, mas aqui não’. E ficava rindo e falando para os outros lá, com deboche: ‘olha esse aí querendo dizer que é vereador’”.

Apesar do acontecido, o vereador decidiu por não entrar com ação contra o segurança. “O segurança é também negro e classe trabalhadora. Então ele processando não muda nada em relação ao racismo”, se posicionou a assessoria.

Confira a nota emitida pelo Coletivo Nós:

Quando falamos que existe uma estrutura racista, estamos falando que nossa sociedade se moldou para negar até a vida política ao povo preto, indígena, favelado, da zona rural e pertencentes a grupos ‘minoritários’ .

Ontem passei por mais um episódio de racismo enquanto cumpria uma agenda oficial como co-vereador legítimo e eleito pelo @sounos.sl. Eu aprendi bem cedo que, independente do lugar que eu ocupe, meu ponto de partida sempre será o mesmo, e serei julgado por isso…

Não vou mudar o meu cabelo, nem me embranquecer, não irei negar a minha origem periférica, para poder entrar em padrões estabelecidos por quem sequer me reconheceu.

Reaja ao racismo ou serás morto!
Reaja ao racismo ou serás morta!”

Portal  Guará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.