Feriado de São Pedro: confira o que abre e o que fecha em São Luís

SÃO LUÍS (MA) - Movimento na Rua Grande, principal rua do comércio popular de São Luís, durante a pandemia em 2020 — Foto: Adriano Soares/Grupo Mirante

O feriado de São Pedro, comemorado nesta quarta-feira (29), altera o funcionamento de serviços e estabelecimentos em São Luís.

g1 listou as principais alterações abaixo. Confira:

Comércio

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA) informou que o comércio lojista da Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa) tem autorização para funcionar nesta quarta-feira (29), feriado de São Pedro.

Os estabelecimentos comerciais situados em ruas, avenidas, galerias e centros comerciais poderão abrir as portas nesse dia das 8h às 18h, enquanto as lojas situadas nos Shopping Centers poderão funcionar das 10h às 22h.

Para o funcionamento, as empresas deverão realizar o pagamento das horas trabalhadas com acréscimo de 100% sobre o valor da hora normal, uma vez que o trabalho nesse dia é considerado extraordinário. Além disso, deverá ser pago uma gratificação no valor de R$ 40,00 aos empregados convocados para o trabalho.

Órgãos Públicos

A Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (Segep) informou que não haverá expediente nesta quarta-feira (29), devido ao feriado municipal de São Pedro. A Segep reforça que serão mantidos os serviços considerados de natureza essencial.

Correios

Devido ao feriado municipal de São Pedro, nesta quarta-feira (29), em São Luís, não haverá funcionamento das agências dos Correios. Na quinta-feira (30), as unidades reabrem normalmente.

Bancos

As agências bancárias não vão funcionar nesta quarta (29). Os clientes que preferirem antecipar o pagamento de boletos, podem usar os canais eletrônicos, internet banking e correspondentes. O funcionamento das agências bancárias retomarão as suas atividades nesta quinta-feira (30).

Loterias

Maior parte das loterias em shoppings não devem funcionar nesta quarta-feira, é o que informou o representante do Sindicato dos Empresários Lotéricos do Maranhão ao g1. A instituição pede que, no caso de estabelecimentos que funcionem em shoppings, o consumidor procure informações no canal oficial do local sobre o funcionamento.

Shoppings

Todos os shoppings irão funcionar normalmente nesta quarta-feira (29), que é comemorado o feriado de São Pedro.

Energia elétrica

A Equatorial Maranhão informou que as agências de atendimento presencial, credenciados e postos E+ Reciclagem não funcionarão em São Luís nesta quarta-feira (29). A Distribuidora orienta que os clientes antecipem sua reciclagem ou ida aos pontos de atendimento, caso desejem resolver algo presencialmente, ou aguardem o retorno das atividades nesta quinta-feira (30).

Serviços como informar falta de energia, emitir código para pagamento, segunda via de conta, consultar débitos, solicitar religação ou realizar cadastro de tarifa social baixa renda podem ser realizados pelos Canais de Atendimento 24h da distribuidora.

Governador Brandão retira dreno e retorna ao Maranhão neste fim de semana

Carlos Brandão, experiente vice-governador do Maranhão, está preparado para liderar o Estado | Ucho.Info

Depois de um mês e 12 dias internado no Hospital da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, o governador Carlos Brandão retorna ao Maranhão neste fim de semana. A informação foi confirmada ao blog O Informante pelo próprio governador, que anunciou com otimismo a retirada do dreno e estancamento das secreções que o impossibilitavam de ter alta.

Brandão deve reiniciar na próxima semana os trabalhos no Palácio dos Leões, mas, por recomendação médica, cumprirá agenda de forma reduzida e sem viagens, por enquanto.

A pouco mais de três meses das eleições que definirão a disputa pela sua reeleição, Carlos Brandão acredita que com o seu trabalho forte à frente do governo, com a força popular do ex-governador Flávio Dino e com o excelente desempenho do seu vice Felipe Camarão na área da Educação, durante o período em que esteve à frente da Seduc, será fácil mostrar ao povo maranhense, na campanha que se avizinha, o que é melhor para o Maranhão e para esse trabalho de reconstrução do estado iniciado em janeiro de 2015, quando Flávio Dino se elegeu pela primeira vez, com o próprio Brandão de vice.

O governador retorna ao Maranhão sem maiores alardes, convicto de que encarou com muita serenidade e responsabilidade o seu problema de saúde, sem explorar a doença junto aos eleitores e sem escondê-la. Se num primeiro momento, até por falta de segurança, evitou dar detalhes do que vinha acontecendo, já nos últimos dias, quando teve mais precisão das informações, não os escondeu e falou tranquilamente por meio dos veículos de comunicação. (O Informante)

Saiba qual o salário de Louro Mané, novo mascote de Ana Maria Braga

Louro Mané com Ana Maria Braga; e seu intérprete, Fabio Caniatto (Foto: Reprodução/TV Globo/Instagram)

“Filho” do eterno Louro José, interpretado por Tom Veiga, o Louro Mané parece mesmo ter vindo para ficar e caiu nas graças do público. O artista por trás dol fantoche, Fabio Caniatto, tem contrato vigente até 2023 com a Globo e, de acordo com a coluna de Fefito, do Splash, do UOL, recebe um salário de R$ 50 mil por mês. Caso participe de ações de merchandising, o artista ainda fatura 15% do valor da ação.

Para além do sucesso, o currículo de Fábio justifica o salário. Ele é pesquisador de máscaras e manipulação de bonecos, foi ator da série infantil Que Monstro Te Mordeu (TV Cultura/Primo Filmes), orientador artístico e light designer do Pograma Fábricas de Cultura, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e manipula os bonecos da série Tá Certo?, da TV Cultura.

Louro Mané tem feito muito sucesso no programa da Ana Maria Braga. (Foto: Divulgação- Maurício Fidalgo)

Fábio é também diretor artístico da Una Cia e coordenador artístico da Cia Buzum!, companhias de espetáculos infantis. Ou seja, o novo papagaio global tem muito conhecimento do mundo infantil e, com toda certeza, conseguirá trazer o tom lúdico que o programa de Ana Maria desejava ter com o personagem.

Empresário mata namorada de 18 anos a tiros no interior do do Maranhão

Ministro da Justiça de Bolsonaro prestigia São João de Brandão e Paulo Victor

Ministro Anderson Torres no Arraial do Ipem em São Luís.

O ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, Anderson Torres, foi flagrado neste domingo (26), aproveitando o São João do Maranhão no Arraial do Ipem em São Luís, acompanhado de seguranças e assessores.

Além desses, ao lado do ministro no Arraial estavam o Juiz Roberto Carvalho Veloso, da 1ª Vara da Justiça Federal e o advogado Gabriel Soares Amorim – genro do senador Roberto Rocha e irmão do desembargador do TRF-1 Luis Gustavo Soares Amorim de Sousa.

Regada a muito chopp, a caravana ficou no Restaurante Rossini que fica ao lado do palco principal e, em determinado momento, Anderson Torres se aproximou do palco para assistir a apresentação do Boi Barrica. O ministro elogiou a beleza e organização do ambiente.

Já por volta das 00h30, em duas Mitsubishi pretas, o ministro e sua caravana deixaram o São João produzido pelo governador Carlos Brandão e pelo secretário de Cultura Paulo Victor.

Nesta manhã o ministro irá receber – de ressaca – o título de cidadão maranhense na Assembleia Legislativa; a honraria foi idealizada pelo senador Weverton Rocha (PDT) que pediu para a proposta ser apresentada pelo deputado estadual Glalbert Cutrim, do PDT. (Com informações do Domingos Costa)

“Ser Mulher não é fácil”, afirma Flávia Alves em manifesto nas redes sociais

A advogada e pré- canditada a deputada federal, Flávia Alves, veio a público, por meio do seu twitter, prestar apoio a todas as mulheres que se encontram em situação semelhante à da atriz Klara Castanho e repudiar todas as formas de ataques contra as mulheres vítimas de violência.

De acordo com a advogada, ser mulher não é fácil. “A luta por direitos das mulheres é árdua e está apenas começando”, destacou Flávia Alves.

Leia o manifesto na integra:

Ser mulher não é fácil!

Não é fácil ter uma vida normal já repleta de afazeres e responsabilidades. Fica ainda mais difícil diante do que assistimos na TV, lemos nas notícias e testemunhamos no dia a dia: a mulher, que deveria estar em uma posição de segurança e proteção, continua vivendo em uma sociedade que ainda não conta com uma rede de apoio que lhe garanta assistência básica.

Importantes conquistas já estão em vigor, e são atuantes, como a Lei Maria da Penha e políticas públicas voltadas para nós. No entanto, ainda há muitas brechas e em cada uma delas, várias dores, lágrimas e indignação. Nestes casos, é claro que cabe nosso repúdio sempre, mas há também um lamento de uma solidariedade prestada que não deveria ter razão de existir se a mulher fosse tratada com respeito.

E ainda há quem diga que é “mimimi”, pois veja! São violências de todos os tipos, sexual, física, moral, psicológica, e tantas outras, que vêm a público e estão enclausuradas nas vítimas que não têm voz social e, tanto quanto uma celebridade, merecem a reparação da justiça.

Dor é dor, que fique bem claro!

O nosso histórico na sociedade, como um todo, foi, e ainda é marcado por grandes lutas por nossos direitos. Mas, todos os dias esses direitos já conquistados são violados severamente. Aí eu me pergunto: quem deveria nos proteger, consegue proteger? O que tem sido feito para garantir os direitos das mulheres?

Separando a emoção, eu mesma concluí: tenta proteger, mas o sistema tem falhado conosco.

E o que fazer? Outdoors? Textão nas redes sociais? Notas de repúdio? Sim, a mobilização é necessária, embora não deva ser a única coisa a ser feita.

Percebemos que as mulheres não têm alcançado as esferas de cargos públicos de maneira igualitária, ou seja, as mulheres não se encontram devidamente representadas nesse sistema político vigente. O que temos vivido é consequência da sub-representação feminina na política e isso reflete, principalmente, na idealização, construção e execução de políticas públicas que considerem as questões do ser mulher.

Precisamos criar estratégias para incentivar a participação da mulher no cenário político eleitoral, qualificá-las para a liderança e aquisição de habilidades para atuação nos espaços públicos.

Temas como assédio, aborto, saúde, maternidade, igualdade de gênero e tantos outros, precisam ser discutidos amplamente na sociedade por mulheres, ninguém melhor que nós mesmas para entender nossas dores e necessidades. A nossa luta é árdua e está apenas começando.

Uma por todas. Todas por uma. Assim nossa voz será ouvida. Assim nossos direitos serão respeitados.

Por Flávia Alves Maciel, pedagoga, advogada e atuante da representatividade e direitos das mulheres.

São João na Praça, arraial promovido por Osmar Filho, começa nesta terça-feira

Tudo pronto para o São João na Praça, arraial promovido pelo presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), no bairro do São Francisco. Serão dois dias de festança, que começa nesta terça-feira (28), com uma vasta programação para animar o público presente, com apresentações culturais e shows, além de disponibilizar um espaço kid’s, com recreação, brincadeiras e distribuição de lanches para a criançada.

Na terça-feira a programação começa às 17h30, com o Grupo Lamparina, seguido dos bois Barrica e Pirilampo. E para finalizar o primeiro dia o arraial terá apresentações de Bruno Shinoda e Tony Guerra.

Na quarta-feira (29), último dia da festa, a programação começa às 17h, com a Quadrilha Nova Esperança. Também se apresentarão o cantor Gil Lemos e os bois de Morros, Novilho Branco, de Santa Fé, de Maracanã, de São José de Ribamar e Maioba.

Contando com o apoio da Prefeitura de São Luís, do senador Weverton (PDT) e do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL), o arraial será realizado na Praça Frei Antônio Sinibaldi, na Avenida Ferreira Gullar.

Após crise de ciúmes, capitão da Marinha mata pais de ex-namorado no Rio de Janeiro

Um casal de idosos foi morto a facadas na madrugada desse sábado (25) em um condomínio no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio. Segundo as investigações da Polícia Civil, o principal suspeito é o ex-namorado do filho do casal, que teria assassinado os dois após uma crise de ciúmes.

Os idosos foram identificados como Geraldo Coelho, 73 anos, e Osélia Coelho, 72 anos. Os corpos deles foram levados para o Instituto Médico-Legal, no Centro do Rio. O enterro será em Fortaleza, onde eles moravam.

Segundo a Delegacia de Homicídios da Capital, responsável pelas investigações, o autor do crime é o militar da Marinha Cristiano Lacerda, de 49 anos. Cristiano é ex-namorado de Felipe Coelho, filho do casal assassinado.

O casal foi encontrado sem vida em cima de um sofá-cama, na sala do imóvel, em um condomínio de luxo no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio.

Geraldo e Osélia moravam em Fortaleza, no Ceará, e chegaram ao Rio de Janeiro no último dia 17 de junho, para passar uns dias na casa do filho. Eles estavam com passagens compradas para voltar para Fortaleza na próxima terça-feira.

O capitão de fragata é ex-namorado do professor de inglês e influenciador digital Felipe Coelho, filho do casal morto.

Cristiano foi encontrado pelos bombeiros inconsciente, deitado dentro do baú da cama do box, dopado. Policiais também encontraram no apartamento remédios controlados e receitas em nome de Cristiano. Ele estava com um ferimento na mão.

O assassino foi preso em flagrante e levado sob custódia para o Hospital Miguel Couto, na Gávea. Seu estado de saúde é estável.

De acordo com as investigações, o capitão e o ex-namorado ainda moravam juntos no mesmo apartamento no prédio do Jardim Botânico, apesar de já estarem em processo de separação. O motivo para o fim do relacionamento seria uma briga em que Cristiano teria agredido Felipe há 2 meses.

Abalado, o professor de inglês e influenciador digital Felipe Coelho entrou em desespero ao chegar em casa e encontrar os pais mortos no sofá-cama da sala de seu apartamento. Segundo testemunhas, ele queria pular pela janela do apartamento quando viu a cena do crime.

O motivo do crime

Na noite da última sexta (24), Cristiano teve uma crise de ciúmes porque Felipe saiu sozinho pra uma festa em Ipanema, também na Zona Sul. Pra se vingar, ele teria matado os pais do namorado, que estavam na casa dos dois.

Cristiano chegou a ligar pra Felipe pedindo para que ele voltasse para casa, alegando que a mãe dele estaria passando mal. Quando Felipe chegou em casa, os pais estavam mortos, deitados no sofá-cama do apartamento.

O capitão foi preso em flagrante e levado sob custódia para o Hospital Miguel Couto, na Gávea. Seu estado de saúde é estável.

No Brasil, Covid mata 11 vezes menos que no auge da segunda onda, em 2021

Em abril do ano passado, taxa de letalidade era superior a 4%; atualmente, morre pouco mais de 0,3% dos infectados

Vacina fez desabar número de mortes no Brasil

A observação do número de casos de Covid-19 e do número de mortes pela doença no Brasil mostra que a atual onda da pandemia, a quarta, mata 11 vezes menos que no auge dela, em abril de 2021.  

Profissionais do setor de saúde dizem que a redução no número de óbitos evidencia quanto a vacinação da população evitou uma tragédia sanitária ainda maior. Em dois anos e quatro meses de pandemia, mais de 670 mil brasileiros morreram por Covid-19.

“O número de novas mortes cai bastante porque as vacinas vão se aprimorando e ficando mais fortes e eficientes. Se as pessoas continuarem se imunizando, é assim que vai acabar a pandemia”, diz o infectologista Pedro Hallal, professor do Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas.

De acordo com o painel do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), que faz o acompanhamento semanal da pandemia, o pior momento da Covid ocorreu entre 4 e 10 de abril do ano passado, quando foram registrados 21.141 óbitos. O dado representa 4,3% dos casos computados no mesmo período: 491.409 infectados.

Na atual onda da doença, a semana mais preocupante se deu entre 5 e 11 de junho, quando 1.077 brasileiros morreram e 292.066 pegaram o novo coronavírus — o equivalente a 0,36% de letalidade, índice 11,6 abaixo do visto em abril de 2021.

“Daqui em diante, é essencial estimularmos a vacinação nas doses regulares e de reforço, para não darmos margem à subida das mortes novamente”, alerta Hallal.

Subnotificação só vai aumentar

O infectologista Renato Kfouri, diretor da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), explica que, além da redução da mortalidade, estamos vendo o avanço sem volta da subnotificação de casos.

Temos uma letalidade reduzida e números de testes falseados pela baixa notificação”, diz Kfouri. Ele acrescenta que, mesmo antes da chegada dos autotestes (comprados em farmácia e que não exigem o registro oficial dos resultados positivos), as pessoas poucas vezes buscavam o exame para constatar a Covid.

“E a tendência é essa, de termos cada vez menos notificação, até porque a doença vai ficando comum, endêmica. Ninguém reporta gripe, por exemplo, e com a Covid será assim também.

Segundo Kfouri, o papel dos órgãos de vigilância sanitária no momento não é tentar descobrir 100% dos infectados, mas, sim, reconhecer mudanças de padrão no avanço da doença, como alteração da faixa etária que mais se contamina ou o surgimento de novas variantes do coronavírus. “E esse acompanhamento se faz por amostragem de casos, sem a necessidade da totalidade dos dados”, esclarece.

Levando em conta, no painel do Conass, sempre as semanas mais letais da pandemia em cada fase da doença no país, a primeira onda foi mais mortal entre 19 e 25 de julho de 2020, com 7.714 óbitos e 319.389 casos. Letalidade de 2,1%.

Após uma segunda onda de percentual acima de 4%, a letalidade caiu bastante na terceira onda, no início de 2022. Entre 23 e 29 de janeiro deste ano, morreram 3.723 brasileiros e foram notificados 1.305.447 casos, recorde em sete dias no país.

Segundo o mapa de vacinação do portal R7, 79% dos brasileiros tomaram pelo menos duas doses contra a Covid-19 ou tiveram a aplicação única do medicamento do laboratório Janssen. E 48% foram aos postos de saúde em busca de reforços na imunização.