Menina de 11 anos escreve bilhete e denuncia estupro: ‘eu sofro abuso do meu pai’

A menina entregou o bilhete para uma colega de escola

Um vigilante de 56 anos foi preso na última sexta-feira (4) depois de ter sido denunciado por estuprar a própria filha, uma menina de 11 anos. Ela escreveu um bilhete e o entregou para uma colega na escola onde estuda. O motorista da van que transporta a garota foi quem pegou o papel e o entregou para a Polícia Civil. “Eu sofro abuso do meu pai”, dizia o recado.

De acordo com a corporação, o caso ocorreu em Paulínia, no interior de São Paulo. Exames e relatos das irmãs da vítima, de 10 e 12 anos, comprovaram que ela sofria violência do próprio pai há pelo menos um ano. O homem foi detido no trabalho dele depois que a Polícia Civil conseguiu um mandado de prisão temporária.

Hímen rompido

Representantes do Conselho Tutelar foram até as escolas onde as irmãs estudam para colher os depoimentos delas. Um laudo médico comprovou que o hímen da garota estava rompido.

É importante ressaltar que o crime, previsto no art. 217-A, consiste em “ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos”. Ou seja, mesmo que não exista a conjunção carnal, o criminoso pode ser condenado a uma pena de reclusão de 8 a 15 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.