Descubra quais celulares em que WhatsApp vai parar de funcionar

O aplicativo de mensagens mais usado do mundo deixará de estar disponível em alguns modelos iOS e Android em breve, segundo artigo atualizado no site da empresa; saiba se seu aparelho será afetado.

O WhatsApp deu um ultimato nesta semana aos que não compraram um celular novo ou não atualizaram seu sistema operacional em mais de seis anos: o aplicativo de mensagens deixará de funcionar em breve em modelos de smartphone que a empresa não considera mais interessantes para hospedar sua plataforma.

A lista é ampla e afeta os telefones da Apple e de outras marcas. Caso você tenha um celular Android, todos aqueles com o sistema operacional 2.3.7 ou anterior serão afetados.

Se tiver um iPhone, aqueles com o iOS 7 ou versão anterior sofrerão com a decisão do WhatsApp. “Nas seguintes plataformas, não é possível criar novas contas ou reverificar contas existentes”, disse a empresa em um artigo atualizado de seu site de perguntas e respostas. “No entanto, se você já usa o WhatsApp, pode continuar usando-o até fevereiro de 2020.”

A medida inclui, entre outros, modelos que usam sistemas Android desatualizados, como o Samsung Galaxy S3, o Galaxy Nexus do Google ou o Sony Xperia S. No caso do iPhone, serão afetados o iPhone 3G, 3GS ou iPhone 4.

O mesmo vale para o Nokia S40, Windows Phone com sistema operacional 8.0 e Blackberry 10.

Mas se você é um dos poucos que usa o sistema operacional Windows Phone, o prazo final é 31 de dezembro, quando o aplicativo não estará mais disponível na loja online do Windows, a Microsoft Store, “e é possível que já não esteja disponível a partir de 1º de julho de 2019 “, alertam os responsáveis pelo WhatsApp.

A Microsoft lançou o Windows Phone em 2010, mas não teve muito sucesso com o aparelho. Apenas 0,24% dos telefones do mundo o usam, de acordo com o site de análise de tráfego Statcounter.

Como não estamos mais desenvolvendo o aplicativo para esses sistemas operacionais, algumas das funções podem parar de funcionar a qualquer momento”, explica a empresa.

Como saber se seu celular será afetado?

O WhatsApp não listou os modelos de celular afetados, mas os sistemas operacionais, que é o que o usuário deve verificar. Se você usa Android, acesse o menu “Configurações” de seu aparelho e procure a seção “Sobre o dispositivo” e depois “Info.software”, onde encontrará a versão do sistema operacional que está instalada.

Se tiver um iPhone, procure a opção “Geral” no menu “Ajustes” e clique em “Sobre” para verificar sua versão do iOS. Você pode tentar atualizar o sistema, embora isso não seja possível em todos os casos. (G1)

Bandidos exigiram 200 mil reais para soltar filhos do tesoureiro do Banco do Brasil de Lago da Pedra

Segundo a polícia, o funcionário foi obrigado pelos criminosos a facilitar o roubo na agência em troca da liberdade dos filhos. Crianças foram soltas na tarde desta sexta (28).

Os filhos do tesoureiro da agência do Banco do Brasil do município de Lago da Pedra, localizado a 312 km de São Luís, foram vítimas de um sequestro relâmpago na madrugada desta sexta-feira (28). Segundo a polícia, o funcionário foi obrigado pelos criminosos a facilitar o roubo na agência em troca da liberdade dos filhos.

De acordo com a Polícia Militar, os meninos com seis e 14 anos foram localizados no início da tarde desta sexta (28) próximo a MA-245 no povoado Santo Agostinho, na zona rural do município. Os policiais informaram que as crianças não estavam feridas e logo em seguida, seguiram de volta para casa.

Os dois são filhos do Tesoureiro do Banco do Brasil de Lago da Pedra, conhecido como “Jhony”. Segundo A PM, os meninos foram encontrados por um funcionário do Banco do Brasil, que participava das buscas no povoado Centro do Agostinho, cerca de 5 km da cidade de Lago da Pedra.  Eles estão bem e já foram entregues para os pais.

R$ 200 ML EM CARRETA

Os bandidos invadiram a casa do Tesoureiro, conhecido como “Jhony” e levaram seus filhos; eles exigiram que o servidor entregasse todo o dinheiro que tinha nos cofres da agência, em troca, devolveriam as crianças, fato que caracteriza a ocorrência como crime de sequestro.

“Jhony”, para reaver os filhos em segurança, acatou as ordens; hoje cedo ele esteve na agência, e seguiu a exigência dos bandidos. O homem deveria entregar uma quantia de aproximadamente R$ 200.000 (duzentos mil reais) e colocar numa carreta abandonada na saída da cidade, em direção a Paulo Ramos.

Os criminosos passaram a manhã em poder dos menores.  Ainda não foi divulgada a quantia exata levada pelos bandidos. A polícia investiga identidade dos acusados para prender o bando. As imagens do vídeo monitoramento da cidade registraram que eles usaram um carro Cruze de cor branca no crime.

Othelino Neto participa de audiência pública sobre áreas de risco de São Luís

O presidente da Assembleia, deputado Othelino Neto (PCdoB), participou, na tarde de quinta-feira (29), no auditório do Fórum Desembargador Sarney Costa, de audiência pública sobre as áreas de risco de São Luís. O evento foi promovido e coordenado pelo juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís. Moradores de 36 áreas de risco, nas modalidades de deslizamento de barreiras, erosão e alagamento, participaram da audiência.

Dentre outras autoridades, participaram da audiência os deputados Wellington do Curso (PSDB), Duarte Júnior (PCdoB) e Dr. Yglésio (PDT); o presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Osmar Filho (PDT), e os vereadores Genival Alves (PRTB) e Bárbara Soeiro (PSC); o secretário de Obras de São Luís, Antônio Araújo; o secretário municipal de Urbanismo e Habitação, Madison Leonardo; o secretário municipal de Segurança e Cidadania, Henyco Coqueiro, e o promotor de Defesa do Meio Ambiente, Fernando Barreto.

“O objetivo dessa audiência pública é discutir e estabelecer um diálogo institucional com todas as instituições que tenham algum tipo de interesse ou de responsabilidade em relação ao assunto para, juntos, encontrarmos uma solução para esse sério problema, que não é só de São Luís. Estamos tentando agir na prevenção. Tanto é que, em 2016, proferi uma sentença determinando que todas as pessoas que estão em áreas de risco fossem retiradas e incluídas em programas de habitação popular, prioritariamente, independente de sorteio”, esclareceu o juiz Douglas Martins.

Tema sensível e de grande relevância social

O deputado Othelino Neto disse que a questão das áreas de risco é um tema muito sensível e que exige uma ação em parceria das diversas instituições na busca de uma solução. “Precisamos encontrar uma solução para esse grave problema social. Para tanto, esse diálogo entre os poderes e as instituições é de fundamental importância. A Assembleia debate esse tema por considerá-lo importante e por entender que não é exclusivo de São Luís, pois têm outros municípios do Maranhão com pessoas morando em áreas de risco”, ressaltou.

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, a questão das áreas de risco é uma pauta importante. “Vamos discutir aumentar o percentual de moradores de áreas de risco contemplados em programas de habitação popular, que atualmente a legislação estipula em 10%. E buscar parcerias com a Assembleia e outras instituições no sentido de encontrar uma solução comum para essa problemática. Precisamos acabar com o sofrimento das pessoas que estão localizadas nas áreas de risco”, salientou.

Para o deputado Dr. Yglésio, é de fundamental importância garantir condições dignas de moradia para os moradores das áreas de risco. “Essas pessoas que moram nessas áreas correm risco de vida e precisam ter uma solução para seu problema de moradia. Acredito que é por meio de uma ação conjunta das instituições que encontraremos soluções para esse problema”, complementou.

O deputado Wellington do Curso disse que o problema das áreas de risco é uma realidade que ele conhece de perto, pois tem vivenciado a questão em várias comunidades de São Luís. “Visitei e identifiquei várias áreas da cidade com esse problema como, por exemplo, na Salina do Sacavém, Vila Embratel, Anjo da Guarda e apresentamos o diagnóstico para o Poder Executivo. Não podemos nos omitir dessa discussão. Essas pessoas são vulneráveis e passam por sérias dificuldades. Passaram as chuvas e temos seis meses para solucionar o problema”, assinalou.

Na oportunidade, o deputado Duarte Júnior defendeu que cada parlamentar possa destinar uma emenda, no valor de aproximadamente R$ 63 mil, que viabilizaria a construção de um prédio para abrigar 40 famílias. “Estamos tratando de direito à moradia, previsto no artigo 6° da Constituição, que deve ser garantido a todos. Essas pessoas têm pressa e direitos. Por isso que o Poder Legislativo está aqui, fiscalizando para que esse direito seja garantido e colocando essa proposta”.

Reinvindicação das famílias das áreas de risco

Antonia de Fátima Santos Dionízio, 47 anos, moradora do Sacavém, contou que perdeu sua casa no dia 24 de março do corrente. “Nesse dia choveu o dia todo e, à noite, a chuva foi mais forte. Por pouco, não morri soterrada. Minha casa veio abaixo. Hoje, estou morando por meio de aluguel social da Prefeitura de São Luís. Preciso recuperar meu canto para viver com minha família”, declarou, ainda abalada pela tragédia.

Francisco José Ramos Santos, morador da Vila Bacanga, cobrou providências das autoridades. “Esperamos que, assim como atenderam as famílias abastadas que moram na beira da praia, em razão das fortes ondas, a mesma atitude seja tomada em relação a nós, pobres, que só temos o humilde cantinho onde estamos. Esperamos providências concretas. Estamos cansados de promessa”, apelou.

Ação da Prefeitura de São Luís

O secretário municipal de Urbanismo e Habitação apresentou um relatório das ações realizadas por sua pasta em atendimento às famílias que residem em áreas de risco. “Temos um diagnóstico completo das áreas de risco de São Luís e temos priorizado a inclusão dessas pessoas nos programas de habitação popular. Já contemplamos dezenas de famílias de áreas como Vila Jumento, Jaracaty, palafitas do PAC Rio Anil, etc. Por determinação do prefeito Edivaldo Holanda, já cadastramos e estamos procurando atender todas essas pessoas”, esclareceu.

Justiça determina que os bancos mantenham vigilância armada 24h

A Justiça determinou que as agências do Banco do Brasil, Banco Bradesco, Banco da Amazônia, Banco Itaú, Banco do Nordeste, e Banco Santander mantenham vigilância armada 24 horas, conforme expressa a Lei Estadual 10.605/2017. A decisão foi proferida na quinta-feira (27) pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha, com assinatura do juiz titular Douglas de Melo Martins.

A referida Lei dispõe, entre outros, sobre a contratação de vigilância armada para atuar 24 horas por dia nas agências bancárias públicas e privadas, inclusive em finais de semana e feriados. Os bancos têm 30 dias para cumprirem a determinação da Justiça e em caso de descumprimento da determinação a multa diária é de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

A decisão é resultado de Ação Civil Pública que tem como autor o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor – PROCON, e foi ajuizada contra os bancos do Brasil, Banco Bradesco, Banco da Amazônia, Banco Itaú, Banco do Nordeste, e Banco Santander, no sentido de cumprimento integral da Lei Estadual 10.605/2017.

A lei tem como finalidade inibir ações de criminosos e garantir a segurança e proteção à vida e à saúde dos consumidores do serviço bancário, como preceitua o Código de Defesa do Consumidor. O autor da ação cita que nenhum dos bancos cumpriu, até agora, o que determina a referida lei, desde a sua publicação.

Na decisão, o magistrado observou que a “presente ação civil pública constitui-se no legítimo exercício do dever constitucional dos órgãos de proteção ao consumidor no sentido de cobrar judicialmente a responsabilidade dos réus pelas eventuais lesões causadas a direitos do consumidor, pleiteando as respectivas indenizações pelos danos provocados”.

Ressaltou ele: “No caso presente, em análise superficial que é própria do momento, verifico que o PROCON se desincumbiu do dever de demonstrar a pertinência do pedido de tutela de urgência (…) Por se tratar de relação de consumo, impõe-se aplicar à situação discutida as regras e princípios contidos no CDC, em especial o do conceito de fornecedor, o da inversão do ônus da prova em favor do consumidor”.

Para a Justiça, a atividade econômica desenvolvida pelos réus se enquadra no conceito de atividade de risco, em razão dos altos valores por elas movimentados. “Devem, por isso, cercarem-se de medidas para garantir a segurança não só dos consumidores como do público em geral afetado por sua atividade no âmbito de suas dependências. Nas hipóteses de assaltos ou outros infortúnios que ocorram nos estabelecimentos bancários, inclusive, a responsabilidade dos bancos pelos danos ocorridos aos consumidores é de natureza objetiva, ou seja, independe da existência de dolo ou culpa, justamente por ser o risco inerente à atividade bancária”, entendeu o juiz na decisão, citando decisões semelhantes proferidas por outros tribunais.(MA 10)

Choque frontal de Toyota Hilux com carreta mata empresário em Estreito

Acidente aconteceu entre Estreito e Carolina. Fernando Garcia tinha 52 anos e ficou presa nas ferragens do carro. Ele era diretor administrativo da Câmara Municipal de Estreito.

A Polícia Rodovária Federal (PRF) informou que  uma colisão frontal entre uma caminhonete Hilux e uma carreta causou a morte do empresário Fernando Vieira Garcia, de 52 anos, no Km 134 da BR-010, entre Estreito e Carolina, na região sul do Maranhão.

O empresário era filho do político Divio Garcia, ex-prefeIto de Goiatuba, no estado do Giiás. Atuamente era diretor administrativo da Câmara Municipal de Estreito, localizado a 775km de são luís.

O velório do empresário foi no Templo Central da Asembleia de Deus Comadesma, na Avenida Santos Dumont, em Estreito. O sepulamento ocorreu no cemitério de Esteito. O caso chocou a população.

INVADIU A CONTRAMÃO  

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu por volta das 7h15 de quinta-feira (27), quando Fernando invadiu a contramão da rodovia e colidiu de frente com a carreta que vinha no sentido contrário

Com o forte impacto, o motorista ficou preso nas ferragens e morreu no local. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do motorista da carreta. A PRF apura o motivo que levou o motorista da caminhonete a invadir a contramão da rodovia.

Mãe confessa que matou filho de quatro meses afogado na Cidade Operária, em São Luís

Para a polícia, mãe relatou usar remédios controlados e que não se sentia apta a criar o filho, que foi encontrado dentro de um tanque.

A mulher identificada como Zilpa Soares da Silva, 27 anos se apresentou na Delegacia Especial da Cidade Operaria depois de ter matado o próprio filho de apenas 4 meses. Ela afogou a criança em um balde na parte da lavanderia da casa onde mora naquele bairro.

Após o crime ela foi até  a delegacia onde disse a agente de plantão que queria registrar uma ocorrência. Assim que ela relatou que tinha matado o próprio filho os policiais resolveram ir com ela até o local.  Ao chegarem na casa acabaram deparando com o bebê com a cabeça mergulhada em um balde.

Zilpa foi levada de volta para a delegacia onde foi interrogada. Ela disse que matou a criança por não ter  condições de cria-lá porque esta separada do pai e agindo assim evitaria evitando o sofrimento do bebê.

Pelo que a polícia apurou Zilpa tem problemas de esquizofrenia.  Em função disso ela deve passar por uma avaliação médica dentro das próximas horas. O corpo do bebê foi encaminhado para o IML.

A mãe do menino foi encaminhada para a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), em São Luís. Em entrevista à Rádio Mirante AM, o delegado Lucas Smith também falou sobre o depoimento da mãe.

” Segundo Zilpa, o menino chamava Gladson, mas era conhecido como Samuel. Ela disse que teria dormido depois do almoço e que, depois, teria refletido por algums minutos que não estava apta para criar a criança e que o melhor que ela teria para fazer era ceifar a vida dela. Ela disse ainda que está usando remédios controlados, inclusive o Diazepam”. 

Presidente Osmar Filho pede posto de marcação de consultas para a zona rural

Em reunião com o secretário de saúde do Município, Lula Fylho , o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho, tratou sobre demanda da Associação de Moradores de Pedrinhas e de outras associações de comunidades do entorno da Zona Rural, que solicitam a instalação de um posto da Central de Marcação de Consultas para facilitar o acesso dos moradores daquela região ao serviço.

A demanda foi apresentada pela Associação quando Osmar Filho esteve visitando a comunidade de Pedrinhas. Por sua vez, o Secretário de Saúde do município, Lula Fylho, disse que a Secretaria Municipal de Saúde fará estudos na localidade para apreciar a viabilidade da solicitação dos moradores da região. O vereador Osmar Filho  destinou R$ 600 mil para serem investidos na saúde pública da população da capital maranhense.

VÍDEO! Bandidos tomam SW4 de mulher em Teresina e deixam o carro em Timon

Mãe e filha foram abordadas por bandidos nas imediações de uma academia no bairro Horto Florestal, na zona Leste de Teresina. O crime foi gravado por câmeras de segurança que mostram uma mulher entrando no veículo quando é praticamente arrancada pelos assaltantes.

O caso ocorreu no fim da tarde de quarta-feira (26). Em certo  momento, um dos criminosos puxa uma mochila da mão da mulher que parece pedir para tirar a filha de dentro do veículo e tem uma arma apontada para si. Na sequência, as duas saem apavoradas e o trio de assaltantes entra no veículo e foge.

A mulher que  teve uma SW4 roubada na tarde de, quarta-feira (26) na zona Leste de Teresina , pode ter sido roubada por indivíduos de Timon. Na manhã desta quinta-feira (27) o carro dela foi encontrado por policiais militares no bairro Cajueiro, na zona sul da cidade timonense.

O carro foi achado por policiais do 11º Batalhão que faziam rondas na área. A SW4 não apresentava muitos danos e possivelmente foi roubado para realização de assaltos. Os policiais  levaram o carro para a Central de Flagrantes de Timon para devolvê-lo à proprietária.

Confira o vídeo:

VÍDEO! Caminhão esmaga carro com cinco pessoas dentro na BR-316, em Codó

Na tarde de quarta-feira, 26, um grave acidente causou lentidão na BR-316, na altura do povoado Brandão, área rural de Codó, quando um caminhão que vinha de Teresina, carregado de coco da praia, com destino a Pedreiras, dirigido por José Ariberto, bateu na traseira de um FIAT com 5 pessoas dentro, todas de Codó, não houve mortes, são elas:

  • Maria do Socorro Vieira da Cruz, 37 anos, moradora da zona rural, esta ficou presa às ferragens e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e SAMU;
  • Rosângela Gonçalves Barbosa (Residencial Trizidela);
  • Rony Rodrigues da Silva (zona rural);
  • Saionara de Moraes Xavier (bairro Santa Teresinha);
  • motorista José Filho (que saiu sem escoriações).

Segundo informações do policial rodoviário federal Aurélio Oliveira, entrevistado pelo blogdoacelio, havia um caminhão munck  a serviço do DNIT fixando placas de sinalização na rodovia, só que o caminhão do DNIT não sinalizou seu próprio serviço.

Em razão disso, os carros da frente diminuíram a velocidade, entre eles o Fiat. Desatento José Ariberto subiu com o caminhão, praticamente, sobre o carro mais próximo cheio de codoenses e por muito pouco não matou alguém. As imagens são impressionantes.

Confira o vídeo: 

Cilindro de gás hélio explode e mata vendedor de balões no João Paulo

A vítima José de Ribamar Sobreiro Coelho, de 52 anos, teve o corpo dilacerado e acabou perdendo membros inferiores e as mãos devido à explosão. 

O homem identificado como José de Ribamar Sobreiro Coelho, de 52 anos, morreu na noite dessa quarta-feira (26) após uma explosão no momento em que enchia balão usando um cilindro de gás hélio. O acidente aconteceu na Rua da Vala, no bairro João Paulo, em São Luís.

Pelas informações de vizinhos, a vítima estava sozinha em casa. José Coelho teve o corpo dilacerado e acabou perdendo membros inferiores e as mãos devido à explosão. Além da morte de José Coelho, a explosão provocou destruição de paredes e do telhado da residência.

O Corpo de Bombeiros e o Instituto Médico Legal (IML) foram acionados para atender a ocorrência. A movimentação de curiosos foi intensa no local, em busca de informações sobre o caso.O óbito foi registrado pelo irmão da vítima na Delegacia do Plantão das Cajazeiras, no centro de São Luís.